Motorista bêbado bate carro e é preso em Sorocaba

O delegado plantonista fixou e fiança em R$ 450, mas o motorista acabou dormindo numa cela

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2008 | 16h51

O automóvel Gol dirigido por Javair Siqueira Góes, de 45 anos, desceu em ziguezague por uma avenida, na zona norte de Sorocaba, bateu em dois carros estacionados e depois entrou no muro de uma casa, no final da noite de quarta-feira, 2. Ninguém se feriu, nem mesmo o motorista.   Veja também: Na França, quem bebe e dirige tem carro confiscado  Advogado comenta a norma de tolerância zero   Entenda os principais pontos da Lei Seca    Os policiais militares, chamados pelo dono da casa, esperaram pacientemente que Góes tivesse condições de soprar o bafômetro. Uma espera de 1h30! Ele não conseguia abrir a porta do veículo e, quando afinal localizou a maçaneta e tentou sair, precisou ser amparado para não cair. Na presença dos policiais, e cercado pelos curiosos, o motorista parecia não entender o que estava acontecendo.   "Que foi? Que foi?", balbuciava. Quando conseguiu se explicar, disse que tinha ingerido "só uma latinha" de cerveja. O bafômetro acusou 0,94 miligramas de álcool por litro de ar expirado, compatível com o consumo de pelo menos 5 latas de cerveja, mas os policiais estranharam o índice. "Pelo estado dele, bebeu muito mais, só que não conseguiu soprar o bafômetro direito", disse uma policial que atendia a ocorrência. O dono da casa avariada, Aparecido Souto, estava inconformado. "Num porre desses o cara sair dirigindo é muita irresponsabilidade." Ele lamentou o prejuízo. "Foi muita sorte não ter machucado alguém."   Góes foi levado para o plantão policial e autuado em flagrante por dirigir embriagado. O delegado plantonista fixou e fiança em R$ 450, mas o motorista acabou dormindo numa cela. Ontem de manhã, providenciou o pagamento e foi libertado. Outro motorista, Sidnei Jorge da Costa, de 42 anos, dirigia embriagado no Parque São Bento, periferia da cidade. O bafômetro acusou 1,12 mg por litro de ar e, para piorar, ele não tinha habilitação.   Preso, pagou fiança de R$ 300. O empresário Mauro César Mendes Rocha, de 32 anos, que no sábado invadiu um posto de gasolina com sua caminhoneta e atropelou três pessoas, causando a morte de uma delas, foi ouvido ontem pelo delegado Romeu Lara Júnior, do 6º Distrito Policial de Sorocaba. Ele confirmou no depoimento que tinha tomado uma lata de cerveja, mas negou a culpa pelo acidente, alegando ter sido fechado por outro veículo. O vendedor Marcelo Eduardo da Silva, de 37 anos, prensado contra a parede pela caminhonete, morreu no dia seguinte. Rocha pagou fiança de R$ 1,2 mil.   Sem álcool   Bares e choperias de Sorocaba estão fazendo promoção de cerveja sem álcool para manter a clientela. Uma choperia na Avenida Washington Luís colocou no cardápio linhas de cervejas não alcoólicas com desconto. A novidade agradou o advogado Carlos César Pinheiro da Silva, de Votorantim. "Quando estou dirigindo, só tomo desta", disse. A gerente financeira Gisleine Moraes também aderiu. Ela estranhou um pouco o sabor, mas se conformou. "Pelo menos é melhor do que ficar em casa."

Tudo o que sabemos sobre:
lei secasorocabaDireção Perigosa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.