Motorista avança sobre foliões no RS

17 pessoas que participavam de festa em Palmares do Sul, no litoral, foram atropeladas; uma das vítimas teve traumatismo craniano

ELDER OGLIARI, PORTO ALEGRE, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2012 | 03h02

Um motorista de 18 anos atropelou 17 pessoas que participavam de uma festa de carnaval em uma rua do balneário de Quintão, em Palmares do Sul, no litoral norte do Rio Grande do Sul, na madrugada de ontem. Os feridos sofreram escoriações e algumas fraturas. Uma das vítimas, Bianca da Costa, de 15 anos, foi internada com traumatismo craniano no Hospital de Tramandaí.

O incidente aconteceu por volta das 2h30. Dirigindo uma caminhonete EcoSport, Gilberto Luiz Pelizzer Júnior entrou na Avenida Esparta, reservada para festas de carnaval. Turistas disseram à polícia que ele deixou o som de seu veículo muito alto, o que gerou reclamações de algumas pessoas. Os foliões protestaram e, em meio a uma discussão, o motorista acelerou e forçou a passagem no meio do grupo.

Durante a fuga, o jovem foi seguido por um taxista, que indicou sua localização para a polícia. Detido, o motorista se recusou a fazer teste do bafômetro, mas submeteu-se a um exame clínico em um posto médico do balneário de Pinhal que constatou que Pelizzer não estava alcoolizado.

Em depoimento prestado na Delegacia de Cidreira, Pelizzer disse que foi cercado por pessoas que queriam agredi-lo e avançou para escapar das ameaças. O veículo, que teria sido atingido por chutes e pauladas, foi recolhido para perícia.

O motorista foi liberado e vai responder ao processo em casa. A polícia informou que ele deve ser indiciado por lesão corporal culposa, sem a intenção de matar.

Os feridos, com idades entre 15 e 35 anos, foram atendidos inicialmente em um posto de saúde de Quintão. Os casos que exigiram mais cuidados foram encaminhados para o Hospital de Osório, no qual sete pessoas ficaram internadas por algumas horas e foram liberadas durante o dia.

Caso semelhante. O incidente em Quintão é parecido como o que aconteceu em Porto Alegre, quando 12 ciclistas foram atropelados, em fevereiro do ano passado. O bancário Ricardo Neis abriu caminho acelerando seu carro em meio a cem ciclistas que faziam passeio noturno pelo bairro Cidade Baixa. Os atropelados tiveram ferimentos leves.

O delegado Gilberto Almeida Montenegro disse na ocasião que houve excesso tanto do motorista quanto dos ciclistas. "O grupo deveria ter comunicado a Brigada Militar sobre o passeio, para ter segurança."

O caso ainda não foi julgado. O motorista alega que foi agredido pelos ciclistas. Eles negam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.