Motorista atropela ciclista duas vezes após discussão no interior de SP

Vítima tinha ido de bicicleta ao supermercado fazer compras; ele está internado em estado grave

Chico Siqueira, especial para o Estado de S.Paulo

23 Abril 2012 | 17h01

ARAÇATUBA - Um motorista de 21 anos passou por cima de um ciclista duas vezes e fugiu sem prestar socorro depois de uma discussão de trânsito, neste domingo, 22, na cidade de Paulo de Faria, no interior de São Paulo. O lavrador Valdecir César Antônio, de 40 anos, que tinha ido de bicicleta ao supermercado fazer compras, está internado, em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Base, de São José do Rio Preto. Com fratura numa das pernas e traumatismo craniano, Antônio corre risco de vida, respira com ajuda de aparelhos e passaria por avaliação neurológica nesta segunda-feira, 23.

A discussão ocorreu porque Antônio, ao sair do supermercado com as compras, esbarrou acidentalmente o guidão de sua bicicleta no carro dirigido pelo soldador Adimilson Júnior de Souza Trindade, de 21 anos. Os dois discutiram e irritado, Trindade teria jogado o carro sobre Antônio, que ficou caído no asfalto. Em seguida, o motorista teria dado marcha à ré e tornado a passar sobre o ciclista, fugindo, sem prestar socorro.

Esta versão, segundo o delegado titular de Paulo de Faria, Valcir Passeti Júnior, foi apresentada por dois PMs, arrolados como testemunhas. Chamados pelos moradores que presenciaram o atropelamento, os PMs levaram o motorista até a delegacia. O delegado se recusou a fornecer a identidade do motorista, que foi obtida junto à Polícia Militar. Trindade dirigia o carro usando uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) provisória.

De acordo com o delegado, o motorista apresentou outra versão. "Ele (Admilson) disse que não percebeu que tinha atropelado o ciclista quando arrancou com o carro", contou o delegado. Em depoimento à polícia, o motorista disse que também tentou socorrer o ciclista, mas ficou com medo das pessoas que estavam no local. "Quando alguém o avisou que ele tinha atropelado o ciclista, ele retornou, mas deixou de socorrer a vítima porque ficou com medo de ser agredido ou linchado", contou o delegado.

Testemunhas. A testemunha Luiz Borges Rodrigues disse que Trindade atropelou o ciclista intencionalmente. Rodrigues foi quem levou os PMs até a casa de Trindade. O aposentado Orlando Valentim também disse ter visto a cena. Segundo ele, Trindade fez tudo conscientemente. 

O delegado Passeti Júnior disse ter aberto um inquérito de lesões corporais e omissão de socorro para apurar o caso, mas que vai ouvir testemunhas e analisar os laudos periciais. "Se ficar comprovado que o motorista jogou mesmo o carro contra o ciclista com intenção de atropelá-lo, ele será indiciado por tentativa de homicídio ou lesões corporais dolosas", disse o delegado.

A reportagem procurou o advogado de Trindade, mas no número do telefone celular fornecido pelo delegado ninguém atendeu às ligações.

Mais conteúdo sobre:
ciclista discussão Paulo de Faria

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.