Motociclistas ainda desrespeitam restrição nas pistas expressas

Mesmo após 16 meses de proibição, ainda é possível ver uma moto a cada dois minutos; CET tem 9 fiscais na via

O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2011 | 03h02

A Prefeitura tenta, a partir de hoje, retirar os caminhões da Marginal do Tietê, mas ainda não conseguiu tirar de vez outro tipo de veículo considerado inadequado para a via: as motocicletas. Após 16 meses do início da restrição das motos na pista expressa, ainda é possível avistar algumas fileiras de motoqueiros.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), houve redução de 40% no número de acidentes na via. E o número de multas desde o começo da proibição chega a 3.709. Mas bastam 20 minutos observando a pista para contar pelo menos nove motoqueiros furando a restrição - quase um a cada dois minutos.

A restrição só vale nas duas pistas expressas da Marginal. Nas pistas local e central, nos dois sentidos, o trânsito é permitido.

Na Marginal do Tietê, a CET diz manter nove fiscais para fiscalizar a restrição, divididos em três turnos. Além ficarem em seis pontos fixos de monitoramento, os agentes ainda percorrem a via em viaturas e em motocicletas.

A multa para os motociclistas que circulam nas pistas expressas da Marginal do Tietê é de R$ 85,12 - o mesmo valor da punição para os motoristas de caminhões em locais vetados.

Acidentes. Entre os mortos em acidentes de trânsito, o único tipo de vítima em que houve aumento entre 2009 e 2010 (os números deste ano ainda não foram fechados) foi motociclista ou passageiro de motocicleta. Foi uma alta de 11% (de 428 vítimas para 478). No mesmo período, a frota de motos na capital paulista cresceu menos do que a metade disso: 5%.

Em 2010, segundo o Relatório de Acidentes de Trânsito da CET, 35,2% dos mortos no trânsito paulistano em 2010 estavam em motos - segundo lugar no ranking, só atrás dos pedestres (46,4%).

As motocicletas também estiveram envolvidas em um terço dos acidentes que resultaram em mortes na cidade de São Paulo: 33,4%. O único tipo de veículo que superou essa marca foi o automóvel, com 38,5%.

Fiscalização. A CET comprou seis radares do tipo "pistola" (portáteis) para fiscalizar motocicletas. Segundo a companhia, os aparelhos vão para as ruas ainda neste mês.

Os equipamentos não serão usados só nas pistas expressas da Marginal do Tietê, conforme havia sido divulgado inicialmente. Mas a companhia não informou em quais avenidas e ruas os radares pistola serão usados pelos marronzinhos. / B.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.