Leandro Caproni/Facebook
Leandro Caproni/Facebook

Sem CNH, motorista de 18 anos em carro de luxo mata motociclista na Radial

Automóvel invadiu pista contrária da via e atingiu ainda outros dois veículos; condutores tiveram ferimentos leves

Felipe Cordeiro e Renato Vasconcelos, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2019 | 01h36
Atualizado 24 de outubro de 2019 | 13h08

SÃO PAULO - Um homem de 18 anos que dirigia um carro de luxo em alta velocidade, sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH), provocou um acidente com outros dois automóveis e uma motocicleta e matou o condutor da moto na Avenida Alcântara Machado, conhecida como Radial Leste, na noite desta terça-feira, 22. 

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo, Gustavo Amaro Silva foi preso em flagrante. O veículo - uma BMW XI - foi apreendido para perícia.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que o acidente aconteceu no sentido bairro da Radial, próximo ao cruzamento com a Rua Wandenkolk, na Mooca, zona leste de São Paulo, por volta das 22h30.

O motorista da BMW completou 18 anos neste mês e estava dirigindo o carro de seu pai. Testemunhas informaram que Silva conduzia o automóvel em alta velocidade em direção ao centro quando perdeu o controle, invadiu o canteiro central, derrubou uma árvore e colidiu contra outros dois veículos e uma motocicleta na pista contrária.

O Corpo de Bombeiros enviou quatro viaturas. Os condutores dos outros dois carros sofreram ferimentos leves e recusaram o atendimento. O motociclista - o empresário e produtor audiovisual Leandro Caproni, de 27 anos - morreu no local. A vítima voltava para casa, na Vila Matilde, zona leste da cidade.

Equipes da CET bloquearam duas faixas da Radial, no sentido bairro, o que deixou apenas uma pista liberada. Conforme a companhia, em razão do horário, não houve retenção de fluxo significativa.

A ocorrência foi registrada no 8º Distrito Policial (Brás/Belém), que investiga o caso. O motorista que provocou o acidente foi autuado por homicídio culposo - quando não há intenção de matar - na direção de veículo automotor e dirigir sem permissão ou habilitação.

Na tarde desta quarta-feira, 23, o Tribunal de Justiça de São Paulo decretou a prisão preventiva de Silva. A decisão ocorreu na audiência de custódia realizada no Fórum da Barra Funda, na zona oeste da capital. Ele admitiu que estava acima da velocidade permitida na hora do acidente.

Apesar de o delegado responsável pelo caso ter decretado a prisão em flagrante por homicídio culposo, na decisão da audiência de custódia o juiz entendeu melhor enquadrar o crime como dolo eventual, quando se assume o risco de causar o dano. 

Homenagens

Caproni era dono da produtora Sem Cortes Filmes e cinegrafista oficial da festa Batekoo, evento de cultura negra e LGBT que ocorre em Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo. Nas redes sociais, amigos lamentaram a morte do jovem e o homenagearam.

"O Leandro era um jovem negro de 27 anos que havia acabado de comprar uma casa na região nobre de São Paulo para projetos coletivos de criação. Era um fotógrafo/videomaker talentosíssimo, inteligente, empreendedor", escreveu uma internauta no Twitter.

Outra usuária da rede social o definiu como "uma pessoa maravilhosa, cheia de força". "Produtor incrível, ativista pelos seus direitos e de mais uma porrada de gente, uma pessoa simplesmente maravilhosa." 

O coletivo de preservação do patrimônio cultural da zona leste Grupo Ururay, que trabalhava com a produtora de Caproni, também homenageou o empresário.

"Produtor audiovisual, amigo, fotógrafo, viajante, empresário, irmão e filho. Leandro Caproni exerceu tudo isso com muita verdade e coragem", publicou o coletivo. "Seguiremos com a lembrança de seu lindo sorriso e de seu incontestável talento."

O corpo de Caproni foi enterrado nesta quarta no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.