Morumbi vira alternativa de caminhão

Morumbi vira alternativa de caminhão

No 1º dia de multa na Marginal do Pinheiros e em outras vias da zona sul, chapas indicavam Giovanni Gronchi como rota para rodovias

Renato Machado, Rodrigo Brancatelli e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2010 | 00h00

No primeiro dia de multas para veículos de carga na Marginal do Pinheiros e outras avenidas da zona sul, vias locais do Morumbi e de outros bairros da região viraram rota alternativa para caminhões em direção a Santo Amaro, ao ABC e às rodovias que dão acesso ao litoral. Muitos caminhoneiros ainda resistem em usar o Trecho Sul do Rodoanel alegando que o trajeto é mais longo - e, por isso, mais caro.

A rota pelo Morumbi era indicada por "chapas" (homens que ajudam a descarregar caminhões) nas saídas da Rodovia Régis Bittencourt como alternativa a quem antes passava pela Marginal e pelas Avenidas dos Bandeirantes ou Jornalista Roberto Marinho para cruzar a zona sul da cidade. "Agora é mais fácil seguir pela Giovanni Gronchi até a Estrada de Itapecerica, pegar o fim da Nações Unidas e ir pela Estrada do Alvarenga até a Imigrantes", ensinava o "chapa" João Carlos Santos, de 32 anos.

Durante o dia era possível ver veículos no caminho. Para o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo e Região (Setcesp), Manoel Sousa Lima, o Morumbi foi o que mais sofreu. "Como os caminhões não têm como chegar a Santo Amaro, a Giovanni Gronchi e a Doutor Guilherme Dumont Villares viraram alternativas", disse.

Em nota, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que "vem acompanhando e monitorando o comportamento do trânsito diante das novas medidas e, caso necessário, fará os devidos ajustes".

Restrição. Outra via usada por caminhoneiros que queriam evitar o Trecho Sul do Rodoanel foi a Avenida do Estado, que liga a Marginal do Tietê à entrada da Via Anchieta. Frentistas e comerciantes do local notaram aumento no número de caminhões e reclamaram dos congestionamentos - o pior trecho foi entre a Praça 31 de Março e a Rua São Caetano, que registrou lentidão em boa parte da tarde.

Para diminuir o impacto nessas vias, a Prefeitura mantém estudos com o governo do Estado sobre as rotas de caminhões e, após a ampliação da Avenida Jacu-Pêssego, na zona leste, vai decidir se ampliará a restrição às Avenidas do Estado e Salim Farah Maluf e à Marginal do Tietê.

Atualmente, o tráfego de caminhões está restrito das 5 às 21 horas na Marginal do Pinheiros e Avenidas dos Bandeirantes, Jornalista Roberto Marinho e Afonso D"Escragnolle Taunay.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.