Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Morumbi: monotrilho tem protestos contra e a favor no mesmo dia

Na Assembleia, grupo de Paraisópolis defendeu obra, mas moradores de prédios vizinhos disseram que opção é inadequada

CAIO DO VALLE / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2012 | 03h18

O clima esquentou ontem à noite na Assembleia Legislativa, zona sul, em uma audiência pública com grupos favoráveis e contrários à Linha 17-Ouro do Metrô - o monotrilho entre Jabaquara e Morumbi. De um lado, moradores de Paraisópolis defendiam a obra por melhorar o transporte coletivo. Do outro, moradores de prédios e casas do entorno sustentavam que o modal escolhido não é apropriado.

O auditório ficou pequeno para tanta gente. Panfletos, faixas, gritos e vaias foram alguns dos recursos usados pelos grupos.

O primeiro a ganhar a palavra no cobiçado microfone foi o gerente de Planejamento do Metrô, Alberto Epifani. O dirigente garantiu que o monotrilho é a melhor opção por causa da baixa demanda. Ele foi interrompido. "Gostaria de falar, bicho. É possível?" Um dos moradores do Morumbi respondeu: "Bicho é o caramba! Bicho é o seu VLT (veículo leve sobre trilhos)."

Pouco depois, foi a vez da economista Marcia Vairoletti, de 61 anos, fazer sua exposição. Integrante do Movimento Defenda São Paulo, ela disse que o monotrilho não é adequado para transportar torcidas para jogos no Estádio do Morumbi. Seu grupo defende uma linha subterrânea.

Um dos últimos questionamentos levantados por Marcia foi a respeito de um empreendimento residencial que está sendo erguido na região. "Como tem uma obra com esse prédio de classe A? O monotrilho vai demolir?", perguntou, enquanto mostrava o slide com a foto do prédio em construção.

Essa declaração foi recebida com indignação pela caravana de Paraisópolis. O líder comunitário Gilson Rodrigues, de 28 anos, disse que o monotrilho fará com se chegue mais rápido a outros bairros. "Não sei quanto tempo vocês do Morumbi, da Vila Andrade e da Vila Sônia demoram para sair da Avenida Giovanni Gronchi. São três, duas horas? Com o monotrilho, vão gastar 15 minutos para ir à Paulista."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.