Morumbi: empresário é baleado em Mercedes

A polícia investiga o ataque misterioso a um industrial de 61 anos, morador do Morumbi, zona sul da capital. Na terça-feira à noite, ele dirigia um Mercedes-Benz Kompressor quando foi alvejado por seis tiros na Rua Pureus, no mesmo bairro. Três disparos feriram a mão e o braço do empresário e os outros três danificaram a lataria do veículo. Dois criminosos fugiram em um Quantum verde sem levar nada. O industrial está internado no Hospital Albert Einstein, também no Morumbi.

CAMILLA HADDAD, O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2012 | 03h01

O delegado titular do 34.º DP (Morumbi), Valter de Abreu, disse que todas as hipóteses são apuradas, entre elas a de que a vítima tenha sido confundida com outra pessoa da família, já que o carro importado também era dirigido por parentes próximos. Abreu afirmou que nada foi roubado. Para atirar no industrial, que atua no ramo da pecuária e no meio artístico, os suspeitos bateram levemente na traseira do Mercedes e o fizeram parar.

"Ele saiu de seu escritório para a residência no Jardim Guedala e disse que não percebeu que estava sendo seguido. Só quando o Quantum bateu em seu carro é que ele tentou fugir acreditando ser um assalto", explicou o delegado. A polícia também investiga mensagem de celular recebida recentemente pela filha do empresário com xingamentos. O fato chegou a ser registrado em boletim de ocorrência. Outra linha de investigação é a ação civil movida pelo industrial envolvendo interesses financeiros em outro Estado.

No momento dos disparos, apenas uma guarda-civil metropolitana estava por perto. Ela foi ouvida na delegacia e liberada. A arma que estava com ela foi apreendida para perícia. A medida, segundo a polícia, é apenas por precaução. A policial disse em depoimento que ladrões atiraram sem sair do carro.

Maletas. De manhã, policiais comentaram que a vítima estaria carregando mais de R$ 20 mil, mas, segundo o delegado, o industrial desmentiu essa informação.

PMs também disseram que dentro do carro havia duas maletas: uma de notebook e outra com documentos. Os dois acessórios teriam sido retirados por parentes da vítima.

Abreu vai solicitar imagens de câmeras da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e de prédios e residências das Ruas Pureus e Circular do Bosque para tentar identificar os autores dos disparos. O caso foi registrado como tentativa de homicídio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.