Morumbi: assaltos causam pânico e acabam com 3 mortos

Em uma das ações, quadrilha amordaçou e amarrou 6 moradores em um banheiro, incluindo um menino de 7 anos

FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

08 Novembro 2011 | 03h03

Moradores do Morumbi, na zona sul, viveram momentos de pânico na manhã de ontem, quando quadrilhas assaltaram três casas em duas horas e fizeram os donos reféns. Em uma delas, a terceira da sequência, a Polícia Militar trocou tiros com quatro assaltantes: três morreram e o outro foi preso em flagrante. Há suspeita de que outros dois tenham fugido em um carro roubado. Nenhuma vítima se feriu. Uma só quadrilha roubou duas casas. A Polícia Civil investiga agora se o bando teve participação no outro roubo da manhã.

Antes de morrerem no confronto, os mesmos bandidos assaltaram a primeira casa das três, na Rua Barão do Rio Pardo, por volta das 7 horas. O crime foi registrado no 89.º DP.

Lá, duas vítimas reconheceram os criminosos como autores do roubo à residência. Os mortos não tiveram a identidade confirmada, mas o detido usava uma camisa do São Paulo Futebol Clube, o que facilitou o reconhecimento. Tiago Carlos Leão Silva, de 19 anos, já fora preso por latrocínio (roubo seguido de morte, a facadas) e por porte ilegal de arma de fogo, segundo a polícia.

A quadrilha roubou joias, notebook e um Audi A3 azul. O carro foi usado no roubo seguinte e ainda era procurado, na noite de ontem, assim como os foragidos.

Quase ao mesmo tempo, outros bandidos invadiam a casa do engenheiro V.H., de 65 anos, na Rua Santo Eufredo. "Eles fizeram roleta-russa comigo e com meu filho e ameaçavam cortar meu dedo", disse ele, que sofria seu 22.º assalto.

Banheiro. Na Rua Fonseca Teixeira, uma via sem saída, o bando invadiu a casa 132, amordaçou e amarrou seis moradores no banheiro, entre eles um menino de 7 anos e a avó dele, de 62. Os criminosos levavam TVs de plasma, joias e dois carros de luxo: um Touareg e uma Pajero.

O dono da casa acionou a polícia. Ele estranhou a demora dos filhos, que não chegaram à padaria da família, em Santa Cecília.

Os militares arrombaram a porta e subiram no muro para procurar bandidos. Foram recebidos a tiros e revidaram contra dois bandidos que tentavam correr pelo quintal da casa ao lado - assaltada há uma semana. Dois criminosos ainda tentaram fugir por um terreno vazio atrás da casa. Um foi baleado. E Tiago Leão detido no posto Ipiranga da Avenida Lineu de Paula Machado.

Moradores da Rua Fonseca Teixeira fizeram ainda uma reunião para reforçar a segurança no local, que já tem guarita. Eles querem fechar a entrada da via.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.