Mortes em AL: governador cobra polícia

O governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), deu prazo de duas semanas para a Polícia Civil concluir e encaminhar à Justiça os inquéritos sobre assassinatos de moradores de rua, com os nomes dos suspeitos e a motivação de cada um desses crimes. Trinta e um moradores de rua foram mortos neste ano no Estado, 30 em Maceió e um em Arapiraca, a 157 km da capital.

Ricardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2010 | 00h00

A cobrança do governador foi feita um dia depois de o programa Fantástico, da Rede Globo, veicular reportagem sobre o caso, já noticiado pelo Estado há uma semana.

Anteontem à noite, foi registrado mais um caso de agressão a um morador de rua em Maceió. Alexsandro Bonfim dos Santos, de 32 anos, foi esfaqueado, por volta das 20 horas, em um terminal rodoviário. Segundo a polícia, o morador de rua disse que foi agredido e esfaqueado na clavícula e em um dos joelhos por cinco homens. A vítima foi levada para um hospital e recebeu alta ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.