Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Mortes em acidentes de trânsito em SP crescem 23,8%

Número passou de 67 para 83 em junho deste ano na capital

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

19 Julho 2017 | 22h47

A quantidade de mortes decorrentes de acidentes de trânsito na cidade de São Paulo cresceu 23,88% em junho, na comparação com o mesmo período do ano passado, passando de 67 para 83 casos. Os dados foram divulgados nesta quarta0-feira, 19, pelo Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga), que reúne informações de registros da Polícia Militar. O crescimento no Estado, no mesmo período, foi de 5%.

Das 83 mortes de junho deste ano, 32 foram de pedestres e 31 de motociclistas, incluindo 34 atropelamentos e 25 colisões entre veículos. No Estado, onde morreram 487, 175 vítimas eram motociclistas e 141, pedestres. Houve, em todas as cidades paulistas, 178 óbitos por colisões e 144 por atropelamento. Com a maior população e a maior frota de veículos, a capital concentra acidentes fatais. Na sequência, os casos são mais comuns em Guarulhos, com 13 óbitos no mês, e Campinas, com 10. 

Os dados do Infosiga mostraram ainda que no semestre também houve crescimento de mortes na capital, passando de 476 casos para 482. O relatório não detalha quantas ocorreram especificamente nas Marginais da cidade, cuja velocidade máxima foi alvo de polêmica e alterada para cima pela gestão do prefeito João Doria (PSDB).

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Prefeitura, disse que “os dados são uma contribuição para a análise dos acidentes”, “no entanto não comenta estudos feitos por outros órgãos”. Apesar disso, acrescentou que “vem implementando medidas para aumentar a segurança nas vias da cidade, em especial para os pedestres, que são o elo mais fraco”, além de medidas como a fiscalização para a restrição da circulação de motos na pista central da Marginal do Tietê.

Mais conteúdo sobre:
Infosiga Polícia Militar João Doria

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.