Mortes de três presos preocupam Pastoral Carcerária

A morte de dois presos na quarta-feira no Centro de Detenção Provisória de Belém 2, em São Paulo, deixou preocupados integrantes da Pastoral Carcerária. Wellington Porto Xavier dos Santos e Adriano Marinho da Cruz foram mortos, respectivamente, por enforcamento e asfixia. "Existe um forte clima de tensão nos presídios de São Paulo", disse o padre Valdir Silveira, da Pastoral Carcerária.

O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2012 | 08h37

Como a família de Cruz não foi encontrada, ele deve ser enterrado como indigente.

Na sexta-feira, um agente penitenciário da unidade foi ferido em um atentado. Ele e um colega andavam em direção a um ponto de ônibus quando dois homens em uma moto atiraram.

Além da morte dos dois presos, um terceiro detento, segundo a Pastoral, agrediu um agente, na tentativa de ir para uma ala segura. A capacidade do CDP Belém 2 é de 768 pessoas, mas há 1.937 presos na unidade.

Na tarde de ontem, também morreu Luciano Luiz de Souza. Ele estava no Centro de Proteção Penitenciária de Valparaíso. / BRUNO PAES MANSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.