Mortes ainda se concentram nas capitais

Mortes ainda se concentram nas capitais

BRASÍLIA

, O Estadao de S.Paulo

31 Março 2010 | 00h00

As taxas de homicídios nas capitais são bem maiores do que as apresentadas pelos Estados. Em 2007, o índice nacional era de 25,2 assassinatos por 100 mil habitantes, enquanto o das capitais era de 36,6. "Há ainda uma forte concentração da violência nas capitais. Mas, ao analisarmos a década, percebemos que essa concentração vai gradualmente se reduzindo", afirma o autor do Mapa da Violência, o estudioso Júlio Jacobo.

Entre 1997 e 2007, o período analisado pelo trabalho, os índices de assassinato nas capitais caíram 19,8%. Enquanto isso, nas taxas do País, a redução é bem menos significativa: 0,7% Dez capitais e o Distrito Federal apresentaram uma redução nos indicadores de homicídio durante a década. O valor mais significativo foi São Paulo, com queda de 69,4%. "Esses são os números mais atualizados disponíveis. Há dados de mortalidade de 2008, mas eles ainda são preliminares", conta Jacobo.

Metrópoles. Nas regiões metropolitanas brasileiras a redução média também foi significativa: 9,6%. Apesar da queda dos índices gerais, os números aumentaram em oito entre as dez regiões. "Os resultados gerais foram muito influenciados pela redução em locais onde há grande concentração populacional, como São Paulo e Rio", explica Jacobo. / L.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.