Cubatão Notícias/Reprodução
Cubatão Notícias/Reprodução

Morte de suspeito causa protesto e ataques a ônibus em Cubatão

Homem foi baleado por PMs após ter feito disparos contra uma viatura; grupo armado ateou fogo em um coletivo e atirou contra outros veículos

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2017 | 11h23

SOROCABA - A morte de um suspeito, baleado por policiais militares, desencadeou uma série de ataques contra ônibus, entre a noite de domingo, 8, e a madrugada desta segunda-feira, 9, em Cubatão, na Baixada Santista. Um ônibus foi incendiado e outros dois foram atacados a tiros. Os passageiros deitaram-se no chão do coletivo para evitar as balas. Ninguém ficou ferido.

A Polícia Militar considerava a situação sob controle na manhã desta segunda.

De acordo com a polícia, o suspeito foi morto após ter feito disparos contra uma viatura da Polícia Militar Rodoviária, no km 273 da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega. Os policiais reagiram e balearam o homem, que morreu no local.

Horas depois, moradores da Vila Esperança se reuniram para protestar contra a morte. Um grupo armado parou um ônibus, obrigou motorista e passageiros a descer e ateou fogo. Em seguida, eles tentaram parar outros ônibus e, não sendo atendidos, fizeram disparos contra os coletivos. A vila é cortada pela Rodovia dos Imigrantes, e são comuns os assaltos a veículos com turistas.

Outros casos. Na manhã de domingo, um policial militar reagiu a uma tentativa de assalto e baleou dois suspeitos, em São Vicente, na mesma região. Um deles, um adolescente de 17 anos, morreu, e o outro continuava internado nesta segunda-feira. O PM de 26 anos saiu do serviço e voltava de moto para casa quando foi abordado por dois ciclistas, um deles armado. O PM entregou a moto, mas atingiu os suspeitos quando tentavam fugir como veículo.

Na noite de sábado, também em São Vicente, o policial reformado William Jesus Dantas, de 46 anos, foi executado por dois ocupantes de uma moto, quando caminhava por uma rua do bairro Tancredo Neves. Ele foi chamado pelo nome e, ao virar-se, foi atingido por três disparos de pistola. A moto, que havia sido furtada horas antes, foi abandonada próxima do local.

A polícia trabalha com hipótese de vingança ou crime encomendado e não vê relação entre os casos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.