Morte de professora da PUC em praia do PR ainda é mistério

Corpo apresentava sinais de estrangulamento; ela tinha 53 anos e era sobrinha do ator Ary Fontoura

Evandro Fadel / Curitiba, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2010 | 00h00

A delegacia de Pontal do Paraná, no litoral do Estado, investiga a morte da psicóloga e professora da Pontifícia Universidade Católica do Paraná Telma Fontoura, de 53 anos, sobrinha do ator Ary Fontoura e filha do ex-secretário de Saúde do Estado Ivan Fontoura, ocorrida provavelmente domingo, quando deixou a casa de veraneio da família às 16h30 para caminhar na praia sozinha.

O corpo foi encontrado por volta do meio-dia de segunda-feira, em uma cova com cerca de 10 centímetros de profundidade na areia do Balneário Shangri-lá. O delegado José Antonio Zuba de Oliva restringiu-se a dizer ontem que "a polícia pode chegar ao autor". A Secretaria da Segurança afirmou desconhecer que haja um suspeito identificado.

A psicóloga apresentava sinais de estrangulamento. O Instituto Médico-Legal em Paranaguá deve divulgar laudo em 30 dias. A cremação do corpo, marcada para ontem, foi suspensa por ordem judicial. Divorciada, Telma era professora da PUC havia mais de 27 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.