Morte de motociclista fecha Brigadeiro por 4h

CET interditou avenida no sentido centro, após choque com ônibus às 9h40; caso piorou o trânsito na Paulista

GHEISA LESSA, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2012 | 03h02

Um dos principais acessos da região central de São Paulo, a Avenida Brigadeiro Luís Antônio, no Jardim Paulista, ficou interditada no sentido centro durante grande parte da manhã de ontem. O corpo de um motociclista morto em um acidente na via só foi retirado por volta das 13h40 de ontem, após permanecer por quatro horas no local do acidente.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o motoqueiro morreu em uma colisão com um ônibus, às 9h40. Quando as viaturas do Corpo de Bombeiros chegaram ao local, não havia mais como socorrer a vítima. A CET interditou completamente a avenida para aguardar a perícia.

O fluxo de veículos na região da Avenida Paulista, próximo do local do acidente, ficou intenso. Pela manhã, porém, o pico de lentidão na capital paulista foi registrado um pouco antes do acidente, às 9 horas: 108,5 quilômetros. A média para o horário é de 96,4 quilômetros de congestionamento.

Histórico. O número de motociclistas mortos em acidentes em São Paulo cresceu tanto no ano passado que quebrou a sequência de redução no número total de vítimas do trânsito na capital, que vinha desde 2008. O Relatório Anual de Acidentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), divulgado na quinta-feira da semana passada, mostra aumento em 7,1% nas mortes de motoqueiros, crescimento maior até do que o de motos em circulação, que foi de 6% de 2010 para 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.