Corpo de Bombeiros
Corpo de Bombeiros

Morre terceira vítima da forte chuva que atingiu SP na 3ª feira

Ainda na terça-feira, um bebê e uma idosa também foram vítimas do temporal; 220 famílias ficaram desabrigadas

Marina Dayrell e Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

21 Março 2018 | 09h17
Atualizado 21 Março 2018 | 13h20

SÃO PAULO - O vigilante Gerson Xavier Santana, de 43 anos, morreu nesta madrugada de quarta-feira, 21, após ter sido atingido por uma árvore na Rua Silvia Celeste de Campos, em Pinheiros, na zona oeste da capital paulista. Ele é a terceira vítima da forte chuva que atingiu a cidade na terça-feira, 20. Na terça, uma idosa e um bebê faleceram em consequência da chuva.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo informou que o homem estava trabalhando quando foi atingido por uma árvore, em razão do temporal. Ele ficou preso embaixo da árvore. Os bombeiros o encaminharam ao Hospital das Clínicas, mas o vigilante não resistiu aos ferimentos. 

O caso foi registrado no 14º DP (Pinheiros) como lesão culposa.

Depois do temporal que atingiu a capital e a Grande São Paulo na terça-feira, a previsão é de chuva fraca entre a tarde e a noite desta quarta, 21. De acordo com informações do Centro de Gerenciamento de Emergências de São Paulo (CGE), a recomendação é que moradores de 14 regiões fiquem atentos para riscos de deslizamentos.

A atenção deve ser redobrada nos seguintes locais: Butantã, Campo Limpo, Casa Verde, Freguesia do Ó, Itaquera, Jaçanã Tremembé, Parelheiros, Perus, Pirituba Jaraguá, M'Boi Mirim, Santana Tucuruvi, Vila Maria, Vila Guilherme e Vila Prudente.

A Companhia de Engenharia de Tráfego informa que às 11 da manhã desta quarta-feira havia 45 ocorrências de falhas nos semáforos da cidade, sendo 36 apagados (7 por falta de energia) e 9 intermitentes, de um total de 6 mil e 400 equipamentos. As equipes de manutenção estão desde a tarde de terça-feira nas ruas corrigindo os problemas.

Entre terça e quarta-feira, 95 árvores caíram em São Paulo, segundo informações do Corpo de Bombeiros.

Na terça-feira, primeiro dia do outono, o temporal que atingiu a cidade causou a morte de uma idosa e um bebê e deixou pelo menos cinco feridos e cerca de 220 famílias desabrigadas. A forte chuva causou desabamentos, quedas de árvores e a interdição de ruas e avenidas. Toda a cidade de São Paulo entrou em atenção para alagamentos e pelo menos 26 vias ficaram intransitáveis, entre elas a Marginal do Tietê, a Rebouças e a Avenida 23 de Maio. 

Até as 23 horas de segunda-feira, o Corpo de Bombeiros registrava pelo menos 62 árvores caídas e 25 ocorrências relacionadas a pessoas ilhadas ou desabamentos. Carros eram vistos boiando em vários pontos da cidade e moradores circulavam com água até a altura do peito. Pela manhã, o Corpo de Bombeiros passou novas informações

+++ 'Se tentasse fazer algo, morríamos as duas', diz vítima de desabamento

Segundo o CGE, nesta quarta-feira, o risco é de escorregamento, já que o solo está encharcado pelas chuvas de terça-feira e pela continuidade da precipitação ainda durante a manhã . A média de precipitação na capital nesta terça foi de 39,16 milímetros. Para quarta, a temperatura máxima prevista é de 27ºC, com índices de umidade do ar acima dos 50%. Nesta manh,ã não há registro de nenhum ponto de alagamento na capital.

+++ LEIA TAMBÉM: Passageiros sofrem com atrasos e cancelamentos em Congonhas por causa da chuva

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.