Morre no HC vítima de explosão no Conjunto Nacional

Santo Galli Sobrinho morreu por conta de um quadro infeccioso provocado pelas queimaduras

Fabiana Marchezi, do estadao.com.br,

07 de agosto de 2008 | 11h24

Santo Galli Sobrinho, de 51 anos, que ficou ferido após uma explosão na parte externa do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em São Paulo, morreu à 0h55 desta quinta-feira, 7, no Hospital das Clínicas. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, Sobrinho morreu por conta de um quadro infeccioso provocado pelas queimaduras. Ele sofreu queimaduras de primeiro, segundo e terceiro graus em 60% do corpo.  A explosão aconteceu no último dia 22, quando Sobrinho e Rildo Elias Soares, de 39 anos, realizavam a manutenção do aparelho de ar-condicionado da academia Bio Ritmo, no segundo andar do edifício. Soares continua internado na Unidade de Terapia Intensiva em estado grave. Ele sofreu queimaduras em 15% do corpo e teve fratura exposta na perna direita. No dia do incidente, ele foi submetido a uma cirurgia na perna e teve uma piora no quadro clínico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.