Corpo de Bombeiros/Divulgação
Corpo de Bombeiros/Divulgação

Morre idoso que recebeu duas mil picadas de abelhas em Cerqueira César

Equipe de enfermagem contabilizou ferroadas no rosto, pescoço e nos braços; conforme os bombeiros, colmeias de um apiário de abelhas estavam instaladas em local próximo de onde aconteceu o ataque

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2019 | 15h06

SOROCABA - Um idoso de 71 anos que levou mais de duas mil picadas de abelhas no último dia 26, em Cerqueira César, não resistiu aos efeitos do veneno e morreu nesta quarta-feira, 1º, no Hospital das Clínicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu, interior de São Paulo.

A vítima, João Alves de Souza, estava internada na Unidade de Terapia Intensiva do hospital e teve falência de órgãos. O corpo foi sepultado na manhã desta quinta-feira, 2, em Cerqueira César.

Souza pedalava sua bicicleta pela margem da rodovia Osny Mateus (SP-261), quando foi envolvido pelo enxame. Ele correu cerca de 200 metros e entrou em um matagal na tentativa de se proteger, mas não conseguiu evitar o ataque maciço. Motoristas que passavam pela rodovia viram o homem caído e acionaram o socorro. O idoso foi levado pelo Corpo de Bombeiros para o pronto-socorro municipal de Avaré e, dali, foi transferido para o hospital da Unesp.

A equipe de enfermagem contabilizou mais de duas mil ferroadas no corpo da vítima, a maioria no rosto, no pescoço e nos braços. Conforme os bombeiros, colmeias de um apiário de abelhas estavam instaladas em local próximo de onde aconteceu o ataque. Cada colmeia chega a ter 80 mil abelhas, mas bastam 200 picadas para levar risco de morte a uma pessoa. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar eventuais responsabilidades pela morte do idoso.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.