Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Morre pai que levou tiro quando deixava filhos em escola no Morumbi

Valdemir de Jesus Mota foi vítima de um arrastão; bairro tem visto onda de assaltos perto de colégios

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

03 de março de 2022 | 16h09

O homem que foi baleado no dia 17 de fevereiro após deixar seus filhos na escola no bairro do Morumbi, zona sul de São Paulo, morreu nesta quinta-feira, 3. Ele havia sido encaminhado para o Hospital Municipal do Campo Limpo, também na zona sul, com ferimentos na barriga, mas não sobreviveu.

"A Escola Mais lamenta profundamente o falecimento do senhor Valdemir de Jesus Mota, que estava internado no Hospital Municipal do Campo Limpo após ter sido baleado no dia 17 de fevereiro, em frente à Unidade Vila Andrade, no bairro do Morumbi. Que a família de Valdemir fique em paz e possa contar com a solidariedade de todos os amigos nesse momento tão doloroso", afirmou, em nota, a direção da escola.

Esse foi mais um episódio de violência no Morumbi, que tem sofrido com assaltos nas imediações de colégios particulares. Naquele dia, ele deixou os filhos em frente à Escola Mais, na rua Olavo Leite, quando quatro criminosos passaram em duas motos fazendo um arrastão. Ele foi baleado e socorrido logo em seguida, sendo encaminhado para o hospital. Mas nesta quinta-feira veio a falecer.

"Estendemos nosso pesar à esposa de Valdemir e a seus filhos, a quem oferecemos apoio e suporte neste momento tão delicado. Também aproveitamos a oportunidade para levar nossas condolências aos estudantes e equipe, reforçando nosso intuito de garantir suporte à comunidade escolar, com apoio psicológico a todos que sentirem-se atingidos por essa tragédia que se abateu sobre nossa escola", continuou a direção.

O caso foi registrado no 89º Distrito Policial do Portal do Morumbi e a direção da escola reforçou que vinha pedindo mais policiamento na região, por causa do aumento na criminalidade. O 89º Distrito Policial, na região conhecida como Portal do Morumbi, registrou 1.699 roubos em 2021. É o patamar mais elevado desde 2014. Já no 34.º DP, na Vila Sônia, foram registrados 1.439 roubos, o maior número desde 2019.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.