TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Morre Blazeck, ex-delegado-geral da Polícia Civil de SP

Policial de 52 anos estava internado desde o início da semana com uma grave inflamação intestinal e não se recuperou após cirurgia

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

18 Junho 2015 | 17h59

Atualizada às 20h49

SOROCABA - O ex-delegado-geral da Polícia Civil do Estado de São Paulo, Luiz Maurício Blazeck, de 52 anos, morreu na tarde desta quinta-feira, 18, em Sorocaba, em decorrência de uma diverticulite, grave inflamação intestinal. O policial estava internado desde o início da semana no Hospital Unimed de Sorocaba e não se recuperou após uma cirurgia.

Blazeck havia assumido a diretoria da Polícia Civil em novembro de 2012, quando Fernando Grella foi nomeado secretário da Segurança Pública do Estado pelo governador Geraldo Alckmin. Ele deixou o cargo em dezembro de 2014, na reforma no comando das Polícias Civil e Militar feita pelo atual secretário Alexandre Moraes.

Blazeck tinha 29 anos de carreira na Polícia Civil. Natural de Sorocaba, onde se formou em Direito, começou a carreira como delegado no município de Guarujá, em 1995. Em 2002, assumiu a Delegacia Seccional de Sorocaba, cargo que exerceu por cinco anos. A partir de 2007, passou a exercer funções no Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap). 

Promovido à classe especial da Polícia Civil, atuou no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e no Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). Foi ainda diretor do Departamento de Administração da Polícia Civil e, neste ano, vinha exercendo o cargo de diretor da Academia da Polícia Civil do Estado de São Paulo.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) divulgou nota de pesar pela morte de Blazeck. "Natural de Sorocaba, chegou a delegado geral, o mais alto cargo da Polícia Civil, entre 2012 e 2014. Antes do seu falecimento estava trabalhando como diretor da Academia da Polícia Civil, repassando às novas gerações de policiais a experiência adquirida em mais de 30 anos de profissão. Meus sentimentos e orações aos amigos e familiares", disse Alckmin. 

Alexandre de Moraes também manifestou pesar pela notícia. "Ele nos deixou muito cedo, aos 52 anos, no auge da pujança intelectual. Perdem a Polícia Civil e o Estado de São Paulo, porque o doutor Blazeck era, além de policial experiente e exemplar, um especialista em gestão pública."

O corpo será velado em Sorocaba, mas ainda não há informações sobre o sepultamento.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Luiz Maurício Blazeck

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.