Morre aluno que caiu do 5º andar de escola

Morreu ontem de manhã o menino de 12 anos que caiu do 5.º andar do Colégio de São Bento, no centro do Rio, um dos mais tradicionais da cidade. A queda aconteceu no dia 28 de outubro. Por causa da morte, as aulas estão suspensas hoje. O colégio reabrirá amanhã.

ROBERTA PENNAFORT / RIO, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2012 | 08h38

O aluno teve traumatismo craniano e estava internado em estado muito grave havia nove dias no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Souza Aguiar. A Secretaria Municipal de Saúde não divulgou mais detalhes sobre seu caso, tratado com discrição por decisão da família e por causa da suspeita de suicídio.

A investigação policial ainda não esclareceu se o garoto, filho de uma professora de Português da escola, caiu ou se jogou, nem se ele estava sozinho ou acompanhado. Já foram ouvidos funcionários e ainda serão convocados colegas de turma que ficaram sozinhos na sala de aula com ele antes da queda. O objetivo é esclarecer quais foram seus últimos passos. O colégio pode ser responsabilizado pela morte.

A polícia investiga também se ele sofria bullying dos colegas, hipótese que chegou a ser levantada. No São Bento desde 2008, o garoto ainda não estaria completamente adaptado à nova escola. Ele foi descrito como muito introvertido e solitário, tanto que era observado mais atentamente, conforme disse a orientadora pedagógica do São Bento à polícia. Seu rendimento nas aulas era considerado regular.

Um monitor afirmou em depoimento que viu quando o menino se jogou. Ele achou estranha a atitude do aluno e viu quando ele se pendurou na janela. Em seguida, o menino se soltou e caiu. A mochila e objetos pessoais foram deixados no corredor, perto do ponto de onde ele pulou, explicou o funcionário.

Luto. Colégio católico exclusivo para meninos fundado em 1858 e reconhecido pela excelência no ensino, o São Bento mantinha-se até ontem em "silêncio respeitoso, atendendo ao pedido da família". De manhã, o colégio divulgou nota de falecimento em seu site. "A reitoria, professores e funcionários, consternados pela perda tão prematura, se solidarizam com os pais e familiares, neste momento de dor. Dai-lhe, Senhor, o repouso eterno e brilhe para ele a vossa luz", diz a nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.