Morre 2ª vítima de acidente em parque de diversões

Garoto de 16 anos tinha sofrido traumatismo craniano; proprietária do local foi indiciada[br]por homicídio doloso

Fábio Grellet / RIO, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2011 | 00h00

Morreu às 16h15 de ontem o estudante Vitor Alcântara Oliveira, de 16 anos, segunda vítima do acidente ocorrido na madrugada de domingo em um parque de diversões em Vargem Grande, na zona oeste do Rio. Ele sofreu traumatismo craniano e estava internado no Hospital Miguel Couto, na Gávea (zona sul).

Alessandra Aguilar, de 17 anos, foi a outra vítima. A adolescente estava na fila da bilheteria do Glória Center para comprar ingresso para o brinquedo chamado Tufão quando um carrinho se soltou, percorreu mais de 10 metros e atingiu a menina, que morreu na hora.

Além de Alessandra, outras oito pessoas ficaram feridas. Duas continuam internadas no Hospital Miguel Couto. Daiane Mesquita, também de 17 anos, está em estado grave no CTI e ainda corre risco de morte. Francine Januário Santana, de 20 anos, fraturou a mandíbula e sofreu uma cirurgia ontem, mas já está em recuperação, segundo a Secretaria Municipal da Saúde.

Convocada para depor, a dona do parque de diversões, Maria da Glória Pinto, esteve ontem na 42.ª DP (Recreio dos Bandeirantes) com o filho, mas se recusou a prestar depoimento. Segundo a delegada Adriana Belém, ela afirmou que só vai manifestar-se em juízo.

Maria da Glória foi indiciada por homicídio doloso (com intenção de matar), segundo a polícia. A delegada informou que anexou ao inquérito as perguntas que pretendia fazer a Maria. Em depoimento à polícia, o responsável por operar o brinquedo afirmou que a dona do parque o obrigava a colocar em cada carrinho mais do que as quatro pessoas que correspondem à capacidade máxima.

Ana Gabrielle Van Bellen, de 17 anos, que estava com Alessandra e um grupo de amigos, e também foi ferida, prestou depoimento ontem. Ela contou que o grupo já havia andado no brinquedo e estava decidindo se andaria novamente quando o carrinho se desprendeu. "Quando acordei já estava todo mundo no chão. Não sei bem o que aconteceu", disse Ana, que levou 12 pontos na cabeça.

Outra morte. A Polícia Civil informou ontem que um funcionário do parque, Diogo Melo de Paiva, de 23 anos, morreu em um acidente em junho em um brinquedo chamado Surfe. O parque estava em Paty do Alferes, na região sul do Estado. Com essa, já são quatro as mortes decorrentes de acidentes no parque.

Veja também:

link Polícia Civil indicia dona de parque de diversões onde ocorreu acidente no Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.