Moradores já fazem estoque

Bairros têm problemas de abastecimento

Bárbara Ferreira Santos e Mônica Reolom, O Estado de S.Paulo

11 Fevereiro 2014 | 02h01

Mesmo sem racionamento de água em São Paulo, moradores já começaram a fazer estoque em casa, principalmente em áreas com problemas de abastecimento. Preocupada, a dona de casa Cleide Maria Calimério, de 57 anos, encheu tambores com mais de 500 litros de água. "Não tenho caixa d'água, então essa é a minha forma de armazenar o que posso", explica.

Ela afirma que a Vila Ayrosa, na zona norte, onde mora, sofre com falta d'água há anos. "Vivo aqui há 17 anos e todo o ano falta água." Sem abastecimento em casa por dois fins de semana seguidos, a mãe dela, Maria José Inácio Calimério, de 91 anos, que mora na mesma casa, teve de tomar banho de caneca. "É horrível tomar banho desse jeito, então é melhor guardar para depois não faltar", afirma.

Já a cozinheira Milena Rita, de 30 anos, que é vizinha de Cleide, está economizando tanto a água que chegou a dar banho no filho pequeno em um balde na garagem de casa. "É bom que gasta menos água", explica. Nos dias em que fica sem abastecimento, ela vai à casa de parentes para cozinhar e dar banhos nos filhos. "A gente até fica sem luz, mas sem água não dá."

Periferia. A copeira Rosineide Moreira dos Santos, de 39 anos, mora no Jardim Etelvina, na zona leste, e passou todo o penúltimo fim de semana sem água. "Todos da casa (ela e mais três filhos) tomaram banho com no máximo 10 litros de água." Para se prevenir, ela agora guarda dois baldes de água em casa. "No centro da cidade nunca chega racionamento, quem sente o drama é a periferia."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.