Moradores fecham rodovia e incendeiam ônibus em ato contra morte de jovem em Campinas

Polícia dispersou manifestantes com balas de borracha e bombas de efeito moral; adolescente de 17 anos foi atingido por três tiros na última sexta em uma ação da PM

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

24 Julho 2017 | 19h18

SOROCABA - Revoltados com a morte de um adolescente de 17 anos, moradores do bairro Jardim Oziel incendiaram um ônibus e bloquearam a Rodovia Santos Dumont, na manhã desta segunda-feira, 24, em Campinas, interior de São Paulo. 

Os 40 passageiros foram obrigados a descer e o motorista, a atravessar o coletivo sobre a pista. Um segundo ônibus foi esvaziado pelos manifestantes, mas a tropa da Polícia Militar chegou a tempo de impedir que fosse incendiado. O coletivo e viaturas da PM foram atacadas com pedras. A polícia dispersou os manifestantes disparando balas de borracha e bombas de efeito moral.

A rodovia foi interditada no km 76, entre o Aeroporto de Viracopos e a área urbana de Campinas. O incêndio e a movimentação de viaturas assustou usuários da estrada. Muitos motoristas voltaram na contramão e se refugiaram em bairros. O congestionamento atingiu seis quilômetros. Uma escola municipal do Jardim Oziel que retornava das férias suspendeu as aulas, depois que suspeitos do incêndio entraram no local e foram perseguidos pela polícia. Um helicóptero da PM deu cobertura à operação, mas ninguém foi preso.

Alguns cartazes deixados no local pediam justiça para a morte do adolescente. Ele foi atingido por três tiros na última sexta-feira em uma ação da PM contra o tráfico de drogas no bairro. O comando da PM em Campinas informou que a ação desta manhã teve o objetivo de desobstruir importante rodovia de acesso à cidade e os policiais agiram de forma a evitar o confronto,sem que nenhuma pessoa tivesse ficado ferida. Sobre a morte do jovem, que teria motivado o protesto, a PM informou que a ação dos policiais é apurada em procedimento interno.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo [SP] Rodovia Santos Dumont

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.