Moradores fazem novo protesto e agora queimam ônibus na zona sul da capital

Ataque ocorreu na Av. Jornalista Roberto Marinho; adolescente morreu atropelado no local na 6ª feira

Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo,

30 Julho 2012 | 03h35

SÃO PAULO - Moradores da Favela Água Espraiada, localizada próximo ao Viaduto Washington Luís, na Avenida Jornalista Roberto Marinho, região do Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, incendiaram, no final da noite de domingo, 29, um ônibus da Viação Tupi, que fazia a linha 875M (Jabaquara - Barra Funda), em protesto contra a falta de segurança no trânsito da região.

 

Os mesmos moradores, na última sexta-feira, 27, à noite, penduraram, num poste semafórico, a bicicleta, totalmente retorcida, do adolescente Kaique Oliveira Welsch, de 14 anos, que morreu atropelado, às 14h50 do mesmo dia, por um caminhão, cujo motorista fugiu sem prestar socorro. O enterro de Kaique ocorreu no Cemitério Getsêmani, no Jaraguá, no quilômetro 23,5 da Rodovia Anhanguera, zona norte da cidade, no sábado, 28, mesmo dia em outro protesto ocorreu na avenida.

 

No final da noite deste domingo, 29, antes de atacarem o ônibus da Viação Tupi, os moradores tentaram parar e incendiar um ônibus da Via Sul. O ataque ao coletivo ocorrido neste domingo seria registrado no 27º Distrito Policial, do Campo Belo. Não há registro de feridos ou detidos durante o violento protesto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.