SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Moradores do Jardim Pantanal voltam a entrar em conflito com a PM

A circulação de trens Linha 12-Safira da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foi interrompida

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2013 | 19h58

Moradores do Jardim Pantanal, zona leste de São Paulo, voltaram a entrar em conflito com policiais militares na noite desta segunda-feira em protesto contra a reintegração de posse de terrenos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU). A carcaça de um veículo que já estava destruído voltou a ser incendiada. A circulação de trens Linha 12-Safira da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foi interrompida.

A manifestação começou por volta das 17h. Os moradores tentaram bloquear a Avenida Assis Ribeiro, na altura da Estação Comendador. A PM usou bombas de gás e de efeito moral para dispersar o grupo e liberar a via.

Os manifestantes atuam em grupos pulverizados. Houve conflitos na linha da CPTM, na principal avenida da região e também no Viaduto

Jacuí, onde o veículo voltou a ser incendiado.

Entulhos foram incendiados em dois pontos dos trilhos da Linha 12. A circulação de trens foi interrompida por 30 minutos. Uma composição foi surpreendida pelas chamas no trilho e o maquinista teve de manobrar o trem e voltar de ré até a estação anterior. Os passageiros desceram nos trilhos e tiveram de seguir a pé. As plataformas das estações ficaram lotadas.

Por volta das 19h45, quatro caminhões da PM chegaram ao local com a Tropa de Choque. O policiais entraram na Favela da União da Vila para dispersar os manifestantes. Pelos três deles foram detidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.