SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Moradores do Jardim Pantanal voltam a entrar em conflito com a PM

A circulação de trens Linha 12-Safira da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foi interrompida

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2013 | 19h58

Moradores do Jardim Pantanal, zona leste de São Paulo, voltaram a entrar em conflito com policiais militares na noite desta segunda-feira em protesto contra a reintegração de posse de terrenos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU). A carcaça de um veículo que já estava destruído voltou a ser incendiada. A circulação de trens Linha 12-Safira da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foi interrompida.

A manifestação começou por volta das 17h. Os moradores tentaram bloquear a Avenida Assis Ribeiro, na altura da Estação Comendador. A PM usou bombas de gás e de efeito moral para dispersar o grupo e liberar a via.

Os manifestantes atuam em grupos pulverizados. Houve conflitos na linha da CPTM, na principal avenida da região e também no Viaduto

Jacuí, onde o veículo voltou a ser incendiado.

Entulhos foram incendiados em dois pontos dos trilhos da Linha 12. A circulação de trens foi interrompida por 30 minutos. Uma composição foi surpreendida pelas chamas no trilho e o maquinista teve de manobrar o trem e voltar de ré até a estação anterior. Os passageiros desceram nos trilhos e tiveram de seguir a pé. As plataformas das estações ficaram lotadas.

Por volta das 19h45, quatro caminhões da PM chegaram ao local com a Tropa de Choque. O policiais entraram na Favela da União da Vila para dispersar os manifestantes. Pelos três deles foram detidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.