Moradores do Jaçanã e da Penha festejam construção de prédios

Muitos encaram com otimismo as mudanças que os empreendimentos trazem e apostam na valorização dos bairros

CAMILA BRUNELLI , O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2012 | 03h03

O taxista Marco Antonio de Oliveira, de 39 anos, mora na zona norte e tem notado que cada vez mais vêm sendo construídos condomínios na região do Jaçanã. Ele considera a mudança boa para o bairro. "Valoriza a região, aumenta a população e o número de ônibus. Estão até fazendo um shopping no Tucuruvi."

Há 25 anos morador da Rua Guaiaúna, na Penha, zona leste, o motorista Eduardo Lima, de 50 anos, também vê as mudanças no bairro com otimismo. Para ele, a construção de um condomínio residencial de seis torres, com apartamentos de 52 m² a 66 m², é bem-vindo.

"Essa parte da Guaiaúna era morta porque só tinha galpão de empresas, sem comércio. Agora já querem construir uma padaria na esquina e no posto abandonado devem fazer um condomínio", comemora. "Isso sem falar na valorização."

A microempresária Elaine Tibério, de 40 anos, resolveu abrir sua loja de roupas e acessórios na Penha por causa de dois empreendimentos em construção na Rua Padre João - um condomínio comercial e um residencial. Ela desistiu de visitar casas e escritórios da zona sul para vender seus produtos.

"Era perigoso ficar com as coisas no carro para cima e para baixo e resolvi alugar um sala comercial para montar uma lojinha. Acho que vai ser bacana", prevê ela, que está no bairro há quatro meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.