Moradores dizem que a venda de drogas continua

Apesar do forte aparato policial nos acessos à Rocinha, moradores relataram ontem que continua a venda de drogas na favela. Traficantes adotaram comportamento mais discreto e não ostentavam armas pesadas, mas ainda anunciavam a cocaína "de 5, de 10 ou de 20".

O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2011 | 03h02

Equipes do Batalhão de Choque ocupam os principais acessos da Rocinha. Segundo um sargento, a ordem é não entrar. "É para passar o pente-fino. Revistar todos os carros, motoqueiros, caminhões e até ambulância", disse. / CLARISSA THOMÉ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.