Moradores de Piracicaba destroem terminal de ônibus

Ação foi protesto contra ação da Polícia Militar que deixou um rapaz morto na periferia da cidade

Tatiana Fávaro, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2008 | 21h57

Moradores do Cecap, periferia de Piracicaba, a 162 quilômetros de São Paulo, depredaram o terminal de ônibus do bairro em protesto contra a morte, no último domingo, de um rapaz de 18 anos, em confronto com policiais militares. Segundo a Polícia Civil, os moradores entraram no terminal na madrugada desta segunda-feira, 20, quebraram eletrodomésticos, portas, janelas, vidros, telefones, computadores, cadeiras, além de outros objetos e móveis, e ainda atearam fogo em uma bilheteria. Os responsáveis pelo terminal não souberam informar o prejuízo do vandalismo em valores. A polícia não soube informar o número de pessoas que participou da ação e, até esta tarde, ninguém havia sido preso. Segundo a Polícia Civil, a PM fazia patrulhamento no bairro, em busca de encontrar motocicletas furtadas ou roubadas, quando o jovem foi morto. Duas motocicletas passavam pelo local quando um sargento da PM fez sinal de parada e os motociclistas aceleraram e teriam disparado dois tiros na direção do sargento. A PM revidou e um dos tiros acertou Henrique Arnaldi. Segundo a Polícia Civil, o rapaz não tinha passagem pela polícia. Ele foi levado ao pronto-socorro do bairro Piracicamirim, mas chegou no local sem vida. Ao lado da motocicleta, a polícia encontrou um revólver carregado.

Tudo o que sabemos sobre:
vandalismopolíciaPiracicaba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.