Moradores de Perdizes são vítimas de arrastão em prédio

Houve perseguição policial, um bandido foi morto e ao menos três foram presos após o roubo nesta segunda

Bia Rodrigues, estadao.com.br

02 Março 2009 | 10h04

Um grupo fez um arrastão no começo da manhã desta segunda-feira, 2, em um condomínio da Rua Piracuama, em Perdizes, na zona oeste da capital. Cerca de 50 moradores foram rendidos e levados para o salão de festa do prédio enquanto os ladrões roubavam os apartamentos. Houve perseguição policial e um ladrão foi morto na Rua Aimberê; ao menos três ladrões foram detidos.   Veja também:  PM prende cinco por tentativa de roubo a condomínio   Os moradores contaram que eram rendidos ao descer do elevador na garagem e no térreo, para em seguida, serem levados para o salão de festas. Reunidos, o grupo pegava um morador e subia até o apartamento para recolher dinheiro, celulares e notebooks. "Eles tinham metralhadoras e pistolas. Desci na garagem e fui rendido. Eles falaram 'a casa caiu' a hora que sai do elevador", conta E.P., 37 anos.   O engenheiro teve o apartamento revirado e levaram dinheiro e outros objetos de valor. "Tenho dois filhos. Ainda bem que este final de semana não era o meu. Eles estavam com a mãe", desabafou E.P, cuja namorada também foi vítima da ação do grupo.   Após revirarem os imóveis, os assaltantes retornavam com os moradores para o salão de festas e escolhiam outros para subir. "Por três vezes, eles me escolheram. Mas sempre aconteceu algo que os fez desistir. Às vezes, um deles estava retornando com alguém e falava que era para checarem o que já tinham recolhido", disse o comerciante M.R, 42, rendido às 7h10, quando retornava para casa, após deixar um de seus filhos na escola.   "Minha mulher decidiu ficar até mais tarde em casa e acabei levando meu filho sozinho. Ela e meu outro filho não chegaram a descer. Estava preocupado com a reação dela se os assaltantes subissem ao meu apartamento", contou o comerciante.   O sistema de monitoramento por câmera do prédio não está funcionando e, por isso, não há imagens da ação dos criminosos. Os moradores afirmaram que o grupo estava calmo e só pedia para que eles não os encarassem. "Um morador chegou a encarar um dos ladrões, que ao perceber, fez uma ameaça. Mas eles estavam calmos na maior parte do tempo", disse M.R.   Após realizarem o arrastão no prédio de 17 andares, os ladrões tentaram roubar um carro na frente do local. A polícia foi avisada e houve perseguição. Segundo testemunhas que não quiseram se identificar, dois carros de pessoas que passavam na rua chegaram a ser levados.   Alguns dos assaltantes, ao perceberem que a polícia estava no local, saíram correndo. Um deles foi preso na Rua Apinagés e dois foram perseguidos na Rua Aimberê. Houve troca de tiros, segundo a polícia, e um assaltante foi morto.   "Estava saindo de casa para o trabalho. Eu ia atravessar a rua, quando vi dois homens correndo, me afastei e vi o policial. Voltei para dentro do meu prédio. Depois vi que eles renderam duas pessoas e um deles foi baleado", contou a assistente de RH, A.R, 33 anos. O bandido ferido foi colocado dentro de uma viatura policial e levado para o Hospital das Clínicas.   Texto ampliado às 11h15 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.