Moradores de Itu 'descanalizam' córrego para conseguir água

Água retirada com baldes por um buraco aberto no cimento é usada para banho e lavar roupa; cidade tem racionamento desde fevereiro

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

18 Agosto 2014 | 19h46

SOROCABA - Desesperados com a falta de água, moradores quebraram a laje de um córrego canalizado há muitos anos para se abastecer, em Itu, região de Sorocaba. A água retirada com baldes por um buraco aberto no cimento é usada para banho e lavagem de roupa. O canal foi reaberto no Jardim Padre Bento, mas os principais usuários são moradores da Vila Ianni, que estão sem água há dez dias. A cidade enfrenta racionamento severo desde o início de fevereiro.

De acordo com os usuários, a água tem aparência limpa, mas não é usada para beber. O córrego nasce no terreno de uma fábrica desativada e foi canalizado ao transpor a área urbana. Moradores chegam a fazer fila para apanhar o líquido. A concessionária Águas de Itu informou que está retirando água de 40 poços particulares na tentativa de manter a população abastecida. A prefeitura mandará uma equipe inspecionar o local. 

O Ministério Público Estadual recomendou à prefeitura decretar calamidade pública em razão da falta de água. A medida não havia sido adotada até esta segunda-feira, 18. De acordo com o MPE, existem 300 poços privados no município que devem ser usados para atender a população. No sábado, moradores com cartazes e baldes vazios fizeram um protesto contra a falta de água, interrompendo o trânsito nas ruas do centro.

Mais conteúdo sobre:
foruns estadao brasil 2018 Itu

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.