Moradores da zona sul continuam sem luz após temporal de domingo

Concessionária fala em "casos pontuais" de falta de energia; remoção de árvores no Ibirapuera vai demorar mais 15 dias

Jerusa Rodrigues e Marco Antônio Carvalho, O Estado de S. Paulo

31 Dezembro 2014 | 16h42

SÃO PAULO - Moradores da zona sul de São Paulo e do Grande ABC continuavam ontem sem energia e sem previsão de retorno do serviço, desde que caiu um temporal na cidade, no domingo. A AES Eletropaulo não apresentou dados específicos sobre a situação e só informou, por meio de nota, que os casos de falta de energia são pontuais.

A concessionária ressaltou que “não há nenhum bairro sem energia”. “Existem ocorrências localizadas em ruas de Vila Mariana, Moema, Vila Olímpia e Ipiranga”, diz em nota oficial.

O economista Felipe Westin, de 61 anos, do Jardim Cordeiro, no Alto da Boa Vista, perdeu todos os alimentos da ceia de réveillon e foi para a casa da filha. “A Eletropaulo nem recebe mais ligações. É um desrespeito e um descaso sem precedentes com o consumidor”, disse.

A falta de luz também atrapalhou na terça-feira o aniversário do analista de sistemas Dênis Monteiro, de 34 anos. “Tudo o que havia comprado para a festa estragou”, disse o morador da Vila Guarani, na zona sul da capital. No seu apartamento, a energia levou mais de 40 horas para ser religada.

Apesar de o fornecimento de energia ter voltado na casa do executivo de vendas André Assis Pires, de 33 anos, morador do Campo Belo, ele também perdeu todos os alimentos que seriam usados na ceia de ano-novo. Pires reclama da falta de informação ao entrar em contato com a concessionária. “A Eletropaulo não explicava nada nem dava previsão de retorno do serviço em todas as vezes que liguei”, relatou. 

No primeiro dia de 2015, a casa da arquiteta Cristina Ferraz Salles, de 48 anos, deve completar 72 horas sem energia elétrica. A interrupção aconteceu ainda durante o temporal que atingiu a cidade na madrugada da segunda-feira passada e não havia previsão de restabelecimento. Moradora do bairro de Vila Nova Conceição, Cristina vê “descaso”. “A rua inteira está sem energia e quando a gente liga para a Eletropaulo a única resposta é que o problema será resolvido o mais rápido possível”, disse a arquiteta, que mora na Rua Teviot. No local, uma árvore caiu e atingiu os fios.

Árvores. A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informou que a retirada das árvores derrubadas pelo vento no Parque do Ibirapuera ainda vai demorar 15 dias. Balanço fechado ontem indica que pelo menos 516 troncos caíram em ruas e espaços públicos. Ainda segundo a Prefeitura, mais de 250 dessas árvores já foram cortadas para desobstrução de vias. /COLABOROU MÔNICA REOLOM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.