Lorena Tabosa/Estadão
Lorena Tabosa/Estadão

Moradores da Saúde aproveitam feira livre aos domingos

Visita a barracas com flores, frutas, queijos e peixes é tradição das famílias do bairro da zona sul de São Paulo há mais de 30 anos 

O Estado de S. Paulo

18 Dezembro 2014 | 09h10

 mora no bairro da Saúde não tem motivos para não se alimentar bem. Todos os domingos, a rua Carneiro da Cunha é tomada por barracas de produtos variados, com legumes, frutas, verduras, carnes e peixes frescos. Faça chuva ou faça Sol, feirantes e clientes se reúnem ao longo de quatro quarteirões, em um casamento que já dura mais de 30 anos.

Por volta das 6h, barracas começam a aparecer na esquina com a rua Pereira Stéfano, a poucos metros da Estação Saúde do Metrô. Existe uma ordem: primeiro, vêm as frutas, verduras e temperos, lado a lado com tendas de lanches, como tapiocas, quibes e os tradicionais pastéis. Depois, aparecem bancas com produtos japoneses, como doces e tempeiros, para atender ao paladar dos descendentes de imigrantes que vivem no bairro.

Há ainda tendas com flores e plantas, seguidas de barracas de queijos, peixes e crustáceos frescos. Também é possível encontrar feirantes vendendo artigos para cozinha, como panos e potes, ou mesmo prestando serviços de consertos de panelas. No fim da rua, já na Praça Cidade Antioquina, o consumidor encontra ainda roupas e calçados à venda.



DICAS

Ir a feiras livres é uma boa opção de passeio para fazer com a família. Lá, é possível experimentar frutas, conservas e queijos, comprar alimentos frescos e conversar com pessoas diferentes. Se vai levar mais de um produto, ainda é possível pechinchar com o feirante. E não deixe de ir à feira só porque está chovendo. Nos dias de garoa, vendedores lançam promoções para não perder a clientela, o que rende bons negócios para o consumidor.

INFORMAÇÕES

Feira da Saúde

Rua Carneiro da Cunha, da esquina com a rua Pereira Stéfano até a Praça Cidade Antioquina

Todos os domingos, das 6h às 14h

Mais conteúdo sobre:
BairrosSP Saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.