Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Moradores continuam sem água após árvore cair sobre rede elétrica

Segundo a Sabesp, 340 mil pessoas seguem prejudicadas na capital e na Grande São Paulo; na quinta-feira, eram mais de 1,2 milhão

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

23 Janeiro 2015 | 12h19

Atulizado às 15h40

SÃO PAULO - Mais de 24 horas após a queda de uma árvore sobre a rede elétrica provocar uma falha de energia que prejudicou duas estações de abastecimento, cerca de 340 mil pessoas continuam sem água na Grande São Paulo nesta sexta-feira, 23, segundo informa a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O número corresponde a 53% dos clientes atendidos pela Estação João XXIII, uma das afetadas, que ainda estão com as torneiras secas.

O problema teve início por volta das 4h da madrugada da quarta para a quinta-feira, 22, quando um eucalipto de grande porte caiu na Avenida Heitor Antônio Eiras Garcia, no Rio Pequeno, na zona oeste da capital paulista, e derrubou a fiação elétrica. A falta de energia paralisou as bombas de duas estações elevatórias: Jardim São Luiz e João XXIII. Ao todo, mais de 1,2 milhão de pessoas acabaram sem água nas zonas oeste e sul da cidade de São Paulo, além dos municípios vizinhos de Cotia, Embu, Taboão da Serra e Itapecerica da Serra.

Após uma série de desencontros entre a AES Eletropaulo e o Corpo de Bombeiros, a árvore só começou a ser efetivamente retirada às 19h30 da quinta - mais de 15 horas depois de cair. Segundo a AES Eletropaulo, a recomposição da rede começou ser feita à 1h40 e a energia só foi totalmente restabelecida às 5h desta sexta. O tronco da árvore, contudo, permanecia no local pelo menos até o meio-dia desta sexta.

Com o retorno da força, o abastecimento na Estação São Luiz - que atende os bairros Jardim São Luiz, Jardim Ângela, Parque Fernanda e Capão Redondo - foi normalizado ainda durante a noite, segundo afirma a Sabesp. Responsável por abastecer 640 mil pessoas, a Estação João XXIII também voltou a funcionar, mas, de acordo com a companhia, o fornecimento de água ainda não alcançou regiões mais elevadas da rede de distribuição. O prazo da Sabesp é que o abastecimento chegue a todas as casas até a manhã do domingo, 48 horas após a volta da energia.

Além de áreas da zona oeste da capital, a Estação João XXIII é responsável por abastecer regiões de Taboão da Serra, Embu, Itapecerica da Serra e parte de Cotia.

Mais conteúdo sobre:
Crise da água Eletropaulo Sabesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.