Entrevias
Entrevias

Moradores conseguem liminar para não pagar pedágio em Marília

Juiz entendeu que 149 pessoas da zona rural não têm alternativa para chegar à cidade sem passar pela praça de cobrança

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2018 | 19h18

SOROCABA - Ao menos 149 moradores de Marília, no interior de São Paulo, conseguiram liminares na Justiça, nesta quinta-feira, 25, para não pagar tarifa no pedágio instalado no km 153 da Rodovia Dona Leonor Mendes de Barros (SP-333), que faz parte do programa de concessões rodoviárias do governo estadual. O juiz Walmir Idalêncio dos Santos Cruz, da Vara da Fazenda Pública, entendeu que esses moradores da zona rural não têm alternativa para chegar à cidade sem passar pelo pedágio. Em todo o Estado, é o segundo caso de isenção de pedágio por decisão judicial.

Para serem beneficiados, os moradores devem comprovar que moram nos bairros Vila Bela I, II e III, Mesquita e Fazenda do Estado. Os advogados que entraram com os pedidos alegaram que os moradores tiveram tolhido o direito de ir e vir em relação a outras comunidades urbanas não atingidas pelo pedágio. Na decisão, o juiz lembrou que em situação análoga, no município de São Paulo, foram concedidas isenções. Ele determinou multa de R$ 1 mil a cada violação, caso a ordem não seja cumprida.

A Entrevias, concessionária que administra a rodovia, informou que ainda não foi notificada da decisão, mas adianta que cumprirá a determinação judicial. "Qualquer isenção será dada única e exclusivamente após o conhecimento dos termos da decisão", informou.

Em Indaiatuba, moradores cadastrados da cidade têm isenção da tarifa de R$ 13,20 no pedágio instalado na vicinal da Rodovia Santos Dumont (SP-75), em área urbana. Em Boituva, motoristas com placas da cidade têm isenção para passar no pedágio de bloqueio na vicinal de acesso da Rodovia Castelo Branco à cidade.

A Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp) informou não ter sido notificada da decisão e só após receber a notificação vai adotar as medidas que julgar necessárias. Conforme a agência, existe só um caso similar ao de Marília, com isenção por decisão judicial, na Rodovia SP-330, onde os moradores da Chácara Maria Trindade não pagam o pedágio de Perus, no km 26,4. Os condutores dos 551 veículos cadastrados devem apresentar o cartão fornecido pela concessionária, ao passarem pela praça de pedágio, para terem a isenção. 

Conforme a Artesp, em Indaiatuba e Boituva há casos de isenção formalizados por aditivos contratuais. Nesses casos, os moradores dos respectivos municípios possuem isenção exclusivamente em praças de bloqueio, realizando o pagamento normal na praça que fica no eixo das rodovias. As praças de bloqueio ficam localizadas diretamente em acessos às cidades, próximos da praça principal, e evitam que caminhões de grande porte adentrem as vias, que não suportam tráfego pesado. Elas inibem também as rotas de fuga dos pedágios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.