Moradores apedrejam ônibus após morte de 2 crianças em Guarulhos

A morte de duas crianças, atropeladas por um ônibus municipal anteontem à noite, provocou um protesto pela retirada do terminal provisório de ônibus do Bairro Taboão, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Vizinhos apedrejaram o veículo envolvido no acidente e tentaram agredir o motorista, que fugiu.

Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2011 | 00h00

Os primos Michael Ramos, de 8 anos, e Aline Ramos de Oliveira, de 6, foram enterrados ontem à tarde no Cemitério da Vila Rio, também em Guarulhos. "Todo dia passava lá e via essas crianças brincando. Hoje, fui encontrá-los aqui (no cemitério). Tenho certeza que isso podia ter sido evitado", lamenta o auxiliar de produção Ernesto Oliveira, de 38 anos, parente das vítimas.

Assim como Oliveira, vizinhos das crianças culparam a instalação do terminal provisório, que obriga os coletivos a manobrar pela Rua Joaquina de Jesus, muito estreita, segundo eles. "Faz 15 dias que fizeram isso. Semana passada, um ônibus derrubou o alambrado do campo de futebol, e agora isso", diz a dona de casa Isoldina de Souza.

Michael e Aline andavam de bicicleta na frente de casa quando foram atropelados. O motorista teria corrido até um posto policial quando o veículo foi apedrejado. Outros dez ônibus também foram danificados. Nenhum responsável pela empresa foi localizado ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.