Moradores apedrejam ônibus após morte de 2 crianças em Guarulhos

A morte de duas crianças, atropeladas por um ônibus municipal anteontem à noite, provocou um protesto pela retirada do terminal provisório de ônibus do Bairro Taboão, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Vizinhos apedrejaram o veículo envolvido no acidente e tentaram agredir o motorista, que fugiu.

Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

26 Janeiro 2011 | 00h00

Os primos Michael Ramos, de 8 anos, e Aline Ramos de Oliveira, de 6, foram enterrados ontem à tarde no Cemitério da Vila Rio, também em Guarulhos. "Todo dia passava lá e via essas crianças brincando. Hoje, fui encontrá-los aqui (no cemitério). Tenho certeza que isso podia ter sido evitado", lamenta o auxiliar de produção Ernesto Oliveira, de 38 anos, parente das vítimas.

Assim como Oliveira, vizinhos das crianças culparam a instalação do terminal provisório, que obriga os coletivos a manobrar pela Rua Joaquina de Jesus, muito estreita, segundo eles. "Faz 15 dias que fizeram isso. Semana passada, um ônibus derrubou o alambrado do campo de futebol, e agora isso", diz a dona de casa Isoldina de Souza.

Michael e Aline andavam de bicicleta na frente de casa quando foram atropelados. O motorista teria corrido até um posto policial quando o veículo foi apedrejado. Outros dez ônibus também foram danificados. Nenhum responsável pela empresa foi localizado ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.