Moradores ainda enfrentam falta de energia elétrica em SP

Cerca de 570 mil ficaram também com o abastecimento de água prejudicado por apagões

estadão.com.br

09 de junho de 2011 | 15h02

SÃO PAULO - Ainda há moradores da Grande São Paulo sem energia elétrica desde terça-feira, 7. A AES Eletropaulo informou nesta quinta que restabeleceu 97% das interrupções de fornecimento de energia elétrica geradas pelo ciclone extratropical que atingiu a região.

 

A concessionária disse que mantém 1.800 profissionais trabalhando no restabelecimento da energia. A previsão é de que a situação seja totalmente normalizada ainda hoje. Os principais locais afetados são: Santo Amaro, Butantã, Parelheiros, Saúde, além de bairros de Osasco; Vargem Grande; Cotia; Barueri; Itapevi; Mauá; Ribeirão Pires; Itapecerica da Serra.

 

Abastecimento. A falta de energia elétrica que atingiu várias instalações da Sabesp na terça e quarta-feira ainda prejudica o abastecimento de água de 570 mil pessoas em bairros e municípios das regiões sul e oeste da Região Metropolitana de São Paulo.

 

Na zona sul, o problema mais grave ocorreu na estação elevatória Grajaú, prejudicando o abastecimento de 400 mil pessoas na região do Grajaú e Parelheiros. Na elevatória Mutinga, na zona oeste, foram afetados os municípios de Barueri, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, Jandira, Itapevi e norte de Osasco, além do bairro Butantã.

 

Na tarde de hoje, 170 mil pessoas tinham o abastecimento prejudicado. As duas elevatórias ficaram mais de 24 horas desligadas devido à falta de energia elétrica, voltando a funcionar na noite de quarta-feira.

 

Além do problema no abastecimento, as frequentes oscilações de energia na madrugada de quinta prejudicaram os sistemas de informática da sede da Sabesp, em Pinheiros. Foram danificados geradores e no-breaks.

 

A AES Eletropaulo disse que até a 19 horas de quarta-feira o fornecimento de energia havia sido restabelecido para 95% dos clientes. Até a noite de quarta, os bairros mais afetados eram: Santo Amaro, Butantã, Parelheiros, Saúde e Jardim França, na capital, Vila Airosa e Jardim Marieta, em Osasco; Tijuco Preto, em Vargem Grande; Granja Viana, em Cotia; Parque Imperial, em Barueri; Amador Bueno, em Itapevi; Jardim Itapark, em Mauá; Vila São João e Vila Mortari, em Ribeirão Pires; e Bairro da Ressaca e Itaquaciara, em Itapecerica da Serra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.