Moradores acusam PM de matar adolescente na Grande SP

Segundo a polícia, o adolescente furou um bloqueio e atirou contra uma viatura durante a fuga

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

26 Fevereiro 2010 | 07h45

Moradores do Jardim Panorama, em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, acusam policiais militares do 36º Batalhão de assassinar um adolescente na noite de quarta-feira, 24. Revoltados, eles resolveram realizar uma manifestação às 20h30 desta quinta-feira, 25.

 

Dois ônibus intermunicipais da Auto Viação Pirajuçara, da EMTU, foram alvo do grupo, que apedrejou e incendiou os veículos na Rua Ananias Carmerindo Pires. PMs das Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicleta (Rocam), acionados via 190, foram para o local.

 

Segundo a versão dos moradores, o adolescente E.H.F., de 15 anos, foi morto com um tiro nas costas, disparado por um policial de dentro da viatura, no momento em que o rapaz entregava uma pizza na Rua Fernando Fernandes, próximo ao córrego Pirajuçara. Ao lado do adolescente estava o vizinho dele, Patrício Nascimento Damasceno, de 25 anos, que foi preso pela PM.

 

Policiais que estiveram no local da manifestação afirmam que, na noite de quarta-feira, o menor, pilotando a moto, e Patrício, o garupa, furaram um bloqueio e foram perseguidos, dispensando um pacote pelo caminho. Os policiais disseram que, ao voltarem para o local após a perseguição, o pacote não estava mais lá.

 

Numa curva, Patrício acabou caindo da moto e foi detido. Já o adolescente, segundo os policiais, continuou fugindo e atirou contra a viatura. No revide, foi atingido com um tiros nas costas. A morte do garoto foi registrada na delegacia de Embu. O velório do garoto ocorre no Cemitério dos Jesuítas, em Embu, onde, às 9 horas desta sexta-feira, 26, será o enterro.

Mais conteúdo sobre:
São PauloPMprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.