Moradora tenta voltar para casa há três dias

Maria Cristina Bernardo, de 43 anos, tenta voltar para casa há três dias. Moradora do Morro da Baiana, favela localizada no Complexo do Alemão, a manicure subia a ladeira que leva à sua casa na primeira noite de confrontos entre a polícia e os traficantes, quando foi avisada por um vizinho de que bandidos tinham tomado conta do local. Anteontem, ela tentava chegar à residência, quando teve início uma intensa troca de tiros. "Vim pegar roupa e uma caixa de remédios que tenho de tomar. Pensei em ir lá pedir para eles (os traficantes) me darem, mas cheguei aqui debaixo de tiro. Vou desistir. Mas até quando isso vai durar?", indagava Maria Cristina.

Gabriela Moreira / RIO, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2010 | 00h00

A gerente de uma padaria localizada ao lado do batalhão que está servindo de base para as operações, em Olaria, Márcia da Cruz, de 37 anos, está preocupada com a reposição do estoque da loja. Anteontem, todas as entregas de produtos foram canceladas por transportadoras. "Liguei para a empresa que entrega e disseram que eles não vêm, que é para eu ir buscar", reclama.

Morando há um ano no Alemão, o copeiro alagoano José Cícero da Silva, de 39 anos, está assustado com o que tem visto. E já pensa em voltar para o Nordeste. "Eu nunca vi uma coisa dessas. Estão dizendo que vão invadir, mas e a gente?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.