Moradora de rua tem 70% do corpo queimado no Espírito Santo

Adolescente de 16 anos foi detido acusado pelo crime; segundo a polícia, ele é usuário de drogas

CÍNTIA BRINGHENTI , ESPECIAL PARA O ESTADO , VITÓRIA, O Estado de S.Paulo

16 Março 2012 | 03h08

Um adolescente de 16 anos foi apreendido ontem, acusado de incendiar a moradora de rua Marinalva Silva Alves, de 64 anos, na madrugada de ontem, em Linhares, no norte do Espírito Santo. De acordo com a Polícia Civil, a mulher teve 70% do corpo queimado enquanto dormia em uma quadra abandonada.

A vítima foi socorrida somente no fim da manhã e levada para o Hospital Geral de Linhares, de onde foi para o Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Dório Silva, na Serra. Outros quatro moradores de rua, que também dormiam no local no momento do crime, conseguiram fugir. Segundo o chefe do Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Linhares, delegado Fabrício Lima, eles tentaram avisar a vítima, sem sucesso.

Segundo o delegado, o jovem mora perto do local e foi lá para atear fogo nos colchões. "Ele cometeu o crime porque se sentia incomodado com a presença dos moradores de rua na região." O adolescente foi detido em casa e teria confessado o crime. O pai, que acompanhou o depoimento, estava transtornado. "Ele não esperava que acontecesse isso com o filho dele, que estuda. Não sabia, mas o menino usava drogas. Ele só percebeu que o adolescente chegou transtornado em casa. E descobriu sobre o crime quando nós chegamos", disse Lima.

Apreendido em flagrante, o menor será encaminhado para a Unidade de Internação Socioeducativa. O caso foi registrado como "fato análogo de crime por tentativa de homicídio". /COLABOROU ÍTALO REIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.