Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Morador de rua faz apelo em rede social após perder cão: 'única família'

Centenas de pessoas já compartilharam o vídeo desde que foi postado em redes sociais, na última sexta-feira, 15

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2017 | 15h13

SOROCABA - O apelo de um morador de rua postado na internet após perder seu cão de estimação mobiliza internautas em Sorocaba, interior de São Paulo. Centenas de pessoas já compartilharam o vídeo desde que foi postado em redes sociais, na última sexta-feira, 15. "Se alguém estiver com o meu cachorro, por favor, me devolva. É minha única família, o nome dele é Spyke", pediu o homem, que se identificou como Wilson Junior. O morador de rua o trata como "cão artista", pois costumava equilibrá-lo sobre os ombros, enquanto pedia dinheiro a motoristas, na região do bairro Campolim.

O vídeo foi produzido pelo publicitário Deijivan Hanavan, que passa com frequência na região e tinha conversado algumas vezes com o morador de rua. Ao saber da preocupação de Junior com o paradeiro do cachorro, ele resolveu ajudar. No vídeo, Junior descreve o animal de três anos de idade como um SRD (sem raça definida), com orelhas dobradas, focinho preto e olhos castanhos. "É um artista de rua comigo. Eu tenho um amor tão grande por esse cachorro. Estou muito triste. É o único que não me critica, que não fala mal de mim", afirma no vídeo.

Ele relata que dormia no recuo da loja quando, por volta das 4 horas, Spike saiu caminhado. "Ele não voltou, não sei se alguém pegou. Se alguém está com meu cachorro, pelo amor de Deus, me devolva." No vídeo, Junior mostra o nome do cão tatuado em seu peito. O apelo repercutiu nas redes sociais e também causou polêmica. "Vamos ajudar o moço a trazer de volta o melhor amigo do homem", postou um internauta. "Isso não é exploração de animal?", rebateu outro.

Em junho deste ano, um vídeo gravado por uma internauta mostrando Junior fazendo malabarismo com o cão no ombro já tinha viralizado na internet. Procurado, neste sábado, 16, no local em que costuma dormir, em frente a uma loja de colchões, no bairro Campolim, Junior não foi encontrado. Outro morador de rua informou que ele ainda não tinha encontrado seu cão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.