Monique Abrantes/AE
Monique Abrantes/AE

Montador tenta estuprar menina de 12 anos ao entregar móvel

Garota estava sozinha em casa e gritou por socorro; criminoso, que fugiu dos vizinhos, deixou cair crachá de identificação

, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2011 | 00h00

A Polícia Civil prendeu na tarde de ontem o montador de móveis Renivaldo Francisco da Silva, de 50 anos. Ele é acusado de, em julho, tentar estuprar uma menina de 12 anos no Jardim Itacolomy, na zona sul de São Paulo, durante a entrega de uma compra.

Segundo o delegado Genésio Léo Junior, do 35.º DP (Jabaquara), a garota estava sozinha em casa quando o entregador chegou. "Os pais dela estavam trabalhando. Uma vizinha escutou os gritos da menina e pediu ajuda a outros vizinhos."

Os moradores tentaram deter o montador, mas ele conseguiu escapar. Mas, na fuga, o acusado deixou cair o crachá, o que ajudou a polícia a identificá-lo. Segundo o delegado, Silva é funcionário de uma empresa terceirizada e prestava serviços para uma rede de loja de móveis.

A partir do boletim de ocorrência registrado pelos pais da menina, a polícia iniciou uma investigação e chegou à casa do acusado, no Jardim Jabaquara, também na zona sul. Segundo o delegado, no momento da prisão, Silva estava no imóvel com a mulher, a filha de 11 anos e a sogra. "A filha dele ficou muito assustada ao ver que seu pai estava sendo preso", disse Junior.

Durante o depoimento, o acusado negou a tentativa de estupro e disse que "passou a mão no tornozelo da adolescente porque o achou bonito por ser "fininho"".

Outro caso. Em 2008, o montador de móveis já havia sido acusado de estuprar uma criança de 8 anos em Diadema, na Grande São Paulo. "Na época, foi expedido mandado de prisão preventiva, mas ele não foi encontrado em seus endereços de referência", diz Junior.

A partir desse caso, a polícia voltará a investigar tentativas de estupro parecidas para tentar descobrir outras possíveis vítimas de Silva. "O principal problema que encontramos é que muitas famílias deixam de registrar o caso por vergonha", afirma o delegado.

O acusado está preso na carceragem do 77.º DP (Santa Cecília) e vai responder por crime de estupro de vulnerável, com pena que varia de 8 a 15 anos de prisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.