Monster of Rock: Killswitch saúda protestos

O grupo norte-americano Killswitch Engage saudou a onda de protestos no Brasil durante seu show no festival Monsters of Rock, neste sábado, no Anhembi, em São Paulo. Diante de um público estimado em 30 mil pessoas, o vocalista do Killswitch, Jesse Leach, disse: "Vocês estão lutando por seus direitos no Brasil agora. Nos Estados Unidos, nós estamos acordando para os nossos direitos. Vocês são uma inspiração para nós nos Estados Unidos nesse momento. Obrigado", declarou.

O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2013 | 03h03

A banda também reverenciou a cachaça nacional e fez um show bastante aplaudido, com influencia do new metal, notadamente em canções como You Don't Bleed e Don't be Wrong. O Monsters of Rock, que se realiza após 15 anos no Brasil, tem o grupo Slipknot como atração principal da noite de abertura. Por causa disso, há dezenas de mascarados no Anhembi, inclusive namorados. A banda francesa Gojira abriu a tarde, e sua reputação cresce: foram elogiados até pelos que os sucederam no palco.

Liderada pelo carismático Fred Durst, o nu metal já veterano (celebra 20 anos em 2014) da banda Limp Bizkit faz um show francamente funky na noite, turbinado por efeitos eletrônicos. Em seguida se apresenta o Korn. Com lojinhas e uma insólita barraca de pastel no meio do publico, o Anhembi virou uma espécie de feira de negócios do metal.

Aerosmith. Hoje, a nave do Aerosmith pousa nessa feira. Com um repertório de 22 canções, um disco recente que renova seu legado e uma sempre admirável disposição de seus dois homens de frente, Steven Tyler (voz) e Joe Perry (guitarra), o Aerosmith é a maior atração do festival Monsters of Rock, que deve reunir mais de 30 mil pessoas no Anhembi.

O disco novo do Aerosmith é a demonstração que a banda não é um dinossauro estagnado. Music from Another Dimension, o primeiro álbum em oito anos, "é o melhor disco que fizemos em 20 anos", sentenciou o guitarrista Joe Perry ao Estado.

No show, eles dão o que o público quer ouvir, com uma cascata de hits, como Cryin, Jaded, Don't Want to Miss a Thing, Walk This Way, Dream On e mais uma dezena de clássicos (no Rio, tocaram Angel, fora de seu repertório havia três anos). A outra grande atração do dia de hoje é o Whitesnake, banda de Yorkshire, Inglaterra, que já soma 36 anos de rock'n'roll.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.