Mogi culpa crescimento e São Caetano, 'perfil social'

Líder do ranking de consumo diário de água por pessoa na Grande São Paulo, Mogi das Cruzes atribuiu ao desenvolvimento e ao crescimento de 15% no número de ligações a alta de 59,8% no gasto de água per capita entre 2009 e 2012, segundo dados divulgados pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

O Estado de S.Paulo

07 Maio 2014 | 02h06

Em nota, o Serviço Municipal de Água e Esgoto (Semae) informou que, desde 2009, "adotou uma série de medidas para melhorar a eficiência do abastecimento de água, com redução de perdas e estímulo ao uso racional". Mogi tem 122 mil ligações e 98% da população recebe água encanada.

Segunda colocada no ranking, São Caetano do Sul, no ABC paulista, informou que o "perfil de consumo está atribuído ao aspecto socioeconômico da população". O Departamento de Água e Esgoto (DAE) "vem colocando em prática um Plano de Sustentabilidade Corporativa que prevê diversas iniciativas para combater o desperdício" além de ter como meta reduzir perdas na distribuição.

Assim como Guarulhos, São Caetano teve um corte de 15% na água vendida pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) em março por causa da crise do Cantareira. Segundo o DAE, o município conseguiu reduzir em 15% o consumo de água no mês passado por meio de campanhas pelo uso racional.

Questionada sobre os consumos diários per capita e índices de perdas nas cidades onde opera, a Sabesp informou que considera o consumo por economia em vez do consumo per capita. Em nota, a empresa afirmou que no período "a quantidade de economias residenciais aumentou 7%, enquanto que a população atendida aumentou somente 3%". O consumo por economia consiste em analisar cada conta de água, o consumo de cada instalação. A empresa disse que "o consumo residencial por economia caiu de 13,267 m³ para 13,209 m³.

Em relação aos dados de Embu-Guaçu (79,6% de perdas), a Sabesp afirmou que "o valor atribuído ao município está errado, sendo o correto 48%". O erro se deve, segundo a empresa, a uma falha no sistema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.