Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Mocidade faz homenagem luxuosa à atriz Marília Pêra

Vestida de vermelho, ela acenou para a plateia e demonstrou simpatia

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

15 Fevereiro 2015 | 03h45

Os primeiros dois minutos rodaram no cronômetro do Anhembi sem que nenhum passista da Mocidade Alegre pisasse na avenida. À frente de toda escola, a presidente Solange Bichara, concentrada, segurava uma penca de terços e amuletos na mão esquerda. Alheia ao relógio, arremessou moedas de cinco e dez centavos na pista. Só então cruzou a linha que separa o Sambódromo da concentração. “É para abrir os caminhos”, explica.

Vencedora dos últimos três carnavais, a Mocidade fez uma homenagem luxuosa à atriz Marília Pêra. Com alegorias e carros suntuosos, abusou do dourado e do vinho, em especial no início do desfile. O abre-alas trouxe referências a deuses da mitologia clássica, simbolizando as inspirações em diversos campos artísticos da homenageada.

A carreira no rádio, teatro, cinema e televisão foi representada com coreografias enérgicas. Fotos de Marília Pêra foram estampadas no segundo carro em algumas fantasias. Em meio ao luxo e acabamento dos adereços, que dá a impressão de a Mocidade estar em um patamar diferente das concorrentes, uma letra da palavra “teatro” se descolou do painel de um carro e ficou pendurada – o que pode fazer a escola perder pontos no quesito alegoria.

Um espetáculo à parte, a rainha Aline Oliveira regeu a bateria da escola. Em uma plataforma cilíndrica, onde fez ao menos duas trocas de roupa, era erguida acima da bateria. Em vários momentos do desfile, a estrutura também apresentava um show pirotécnico, que levantou o público do Sambódromo.

Marília Pêra veio no último carro acompanhada de convidados. Vestida de vermelho, acenou para a plateia e demonstrou simpatia. Ao fim do desfile, mostrou-se com uma emoção comedida. “Sei nem o que dizer”, afirmou, em meio a uma multidão que disputava uma palavrinha da atriz.

Mais conteúdo sobre:
Carnaval São Paulo Mocidade Alegre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.