Reprodução
Reprodução

Mobilização para churrasco em Higienópolis ganha força na internet

Direção do shopping não comenta ato marcado após Metrô desistir de instalar estação na Angélica

Gabriel Pinheiro e Marília Lopes, Estadão.com.br

12 de maio de 2011 | 16h22

SÃO PAULO - Piada ou não, a mobilização no Facebook para o "churrasco da gente diferenciada" continua a crescer. Em menos de 24 horas, mais de 47 mil pessoas já haviam confirmado presença pela rede social - e o número não para de crescer. O evento surgiu depois que o Metrô anunciou mudanças na Linha 6-Laranja: a futura Estação Angélica saiu dos planos e, em seu lugar, será construída uma parada na região do Estádio do Pacaembu. As obras na Avenida Angélica enfrentavam forte pressão dos moradores de Higienópolis, que chegaram a organizar um abaixo-assinado contra a estação.

 

Veja também:

som Estadão ESPN - Metrô: Protesto não influenciou mudança

video TV Estadão: Moradores opinam sobre estação no local

linkLinha deve chegar até a Rodovia dos Bandeirantes

 

O churrasco está marcado para o sábado, a partir das 14 horas, em frente ao Shopping Pátio Higienópolis. O idealizador do evento, Danilo Saraiva, afirma no convite publicado no site que a intenção é mostrar que "ricos não chegam aos pobres, mas pobres, sim, facilmente chegam aos ricos". E o sucesso só cresce na rede. "O churrascão da gente diferenciada está fazendo mais sucesso que o casamento do príncipe William", escreveu o internauta Fernando Bueno na página do protesto.

 

Procurada pela reportagem, a direção do shopping não quis comentar o assunto. A Subprefeitura da Sé, responsável pela área de Higienópolis, afirmou não ter recebido nenhuma informação sobre evento, mas destacou que a população tem direito à livre manifestação do pensamento. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) disse não ter um planejamento especial para o trânsito na região se o ato se concretizar, porém ressaltou que "possui contingente e está preparada para um possível protesto."

 

Polêmica. Hoje, o Ministério Público de São Paulo informou que solicitou ao Metrô e à Secretaria de Transportes Metropolitanos informações sobre as mudanças na Linha 6-Laranja. "Se a decisão for realmente técnica, o processo será arquivado. Mas se a decisão foi feita por pressão de um grupo de moradores, iremos discutir as razões", afirmou o promotor Antônio Ribeiro Lopes.

 

A Companhia do Metropolitano de São Paulo nega que a recusa dos moradores de Higienópolis tenha influenciado a obra. "A Companhia está reavaliando a localização da futura Estação Angélica em razão de ela estar a apenas 610 m da futura Estação Higienópolis-Mackenzie e a 1.500m da futura Estação PUC-Cardoso de Almeida", informou ontem o Metrô em nota.

 

Em entrevista ao Estadão.com.br, o presidente da associação Defenda Higienópolis, o empresário Pedro Ivanow, comemorou a decisão. "Um dos pontos que a associação levantou era a pouca distância entre uma estação e outra. Higienópolis não é contra o metrô, mas queria entender isso. Foi um movimento de esclarecimento", destacou. Para ele, as piadas e os protestos organizados na internet são "parte da democracia."

 

Tudo o que sabemos sobre:
HigienópolisMetrôLinha Laranja

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.