Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Mizael reafirma inocência e diz que não estava em represa na noite do crime

Ex-namorado de Mércia, que deve ser indiciado formalmente por homicídio, mantém versão

20 de julho de 2010 | 13h10

SÃO PALO - Terminou por volta das 13 horas desta terça-feira, 20, o depoimento do advogado e policial aposentado Mizael Bispo de Souza, indiciado pela morte da ex-namorada, a advogada Mércia Nakashima.

 

Veja também:

link Peritos analisam terra em sapato de ex de Mércia

link Mizael diz que Evandro mentiu sobre morte de Mércia

link Delegado quer me incriminar, diz ex-namorado de Mércia

video Assista a trecho de depoimento do vigia

 

Segundo o advogado Samir Haddad Junior, o interrogatório teve momentos de tensão. Mizael manteve a versão de que é inocente e que na noite da morte da advogada estava em um carro com uma mulher em frente ao Hospital Geral de Guarulhos, na Grande São Paulo.

 

Mizael deve ser indiciado formalmente por homicídio doloso triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Uma acareação entre ele e o vigia Evandro Bezerra Silva, também suspeito de participação no crime, foi descartada.

 

"Tenho certeza que eles são culpados. O vigia detalhou ontem que os dois passaram por uma viatura da Polícia Militar, em uma estrada de Bonsucesso, que leva à casa de Mizael. Já conferi e a viatura estava mesmo no local descrito, por volta das 22 horas, registrando um acidente entre um carro e uma moto", disse o delegado Antônio Olin, do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), antes do depoimento de Mizael.

 

(Com Solange Spigliatti, da Central de Notícias)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.