Mizael Bispo deve ser condenado a ao menos 20 anos de prisão, diz promotor

O advogado e ex-PM é acusado de matar a advogada Mércia Nakashima, sua ex-namorada, em maio de 2010

Tiago Dantas, O Estado de S. Paulo

08 Março 2013 | 13h21

SÃO PAULO - O policial militar reformado e advogado Mizael Bispo de Souza deve ser condenado a pelo menos 20 anos de prisão pela morte da advogada Mércia Nakashima, sua ex-namorada, segundo o promotor Rodrigo Merli Antunes, da Promotoria do Júri de Guarulhos, na Grande São Paulo, responsável pela acusação. O réu vai a júri popular nesta segunda-feira, quase três anos depois do desaparecimento de Mércia. A defesa alega que ele é inocente.

O promotor afirmou, nesta sexta-feira, dia 8, que o conjunto de provas lhe dá 100% de certeza de que Mizael cometeu o crime com a ajuda do vigia Evandro Bezerra da Silva. O julgamento de Mizael começa segunda-feira no Fórum de Guarulhos. Evandro será julgado em julho.

O rastreamento do celular, que mostra que o ex-policial esteve próximo à casa da avó de Mércia e da estrada que leva à represa de Nazaré Paulista, onde o corpo de Mércia foi encontrado, é uma das provas. Além disso, a perícia encontrou, no sapato do réu, vestígios de uma alga que existe na represa.

"Ele tem o perfil típico de um criminoso passional, uma pessoa que não aceita o término de um relacionamento e aí aflora sentimento de vingança", disse o promotor. Segundo ele, a acusação deverá se fixar nos aspectos técnicos.

Mais conteúdo sobre:
mizael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.