Ministro do STF cobra ação da União

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes cobrou enfaticamente ontem a União para que assuma papel de coordenação no enfrentamento à violência. Segundo ele, a União "nunca quis assumir" a discussão sobre a segurança pública de maneira ampla e sempre o faz por meio de "auxílios isolados" no setor.

O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2012 | 02h01

Ao se referir à onda de violência que castiga São Paulo, ele afirmou que a questão da criminalidade deve entrar na agenda federal, "sem conversa fiada". "Tem de ter uma política nacional sobre o assunto com a União no papel central", defendeu Mendes, durante evento da Escola da Advocacia-Geral da União (EAGU), em São Paulo. O ministro afirmou que a recente onda de violência em São Paulo "parece até mesmo uma ação política".

O Ministério da Justiça reagiu às afirmações de Mendes e informou que promove apoio a Estados no combate à violência. "Isso é justamente o que tem sido feito junto aos Estados, de maneira sistemática e com resultados mensuráveis", assinala o ministério, por meio de nota. /FAUSTO MACEDO E BEATRIZ BULLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.